Ricardina Guilherme Pires Faleiro – CA Quilombo – São Tomé e Principe

Chamo-me Ricardina Guilherme Pires Faleiro, tenho 48 anos de idade e resido em Água Dagô – Trindade. Sou membro e dedico na rede da salvação da unidade acima mencionada.

Conheci a Igreja Messiânica em Julho de 2007, através da minha irmã, membro desta instituição religiosa que reside em Luanda- Angola.

Ela me conduziu a essa Instituição religiosa devido ao corte que a minha filha sofreu nos pés com vidro e os médicos não conseguiam tirar o resto desse vidro que ficou encravado no pé. O sofrimento da minha filha era grande e piorava a cada dia que passava. Ela só veio a ficar boa quando entramos em contacto com o Messias Meishu-Sama e Ele nos brindou com o seu milagre.

Para agradecer a tamanha bênção, tomei a decisão de servir à Obra Divina, tornando-me membro em Novembro do mesmo ano, recebendo o meu Sagrado Ohikari.

A experiência de fé que vou compartilhar com os irmãos, está relacionada com a assistência religiosa.

Acompanho uma casa em Pantufo com 3 membros e durante essa fase de confinamento domiciliar não tive como visitá-la. Numa das minhas deslocações à cidade capital, encontrei com a sua vizinha e esta comunicou-me que a senhora que acompanho envolveu-se em conflito com a família e tentou queimar a casa com ela e as suas crianças lá dentro. Porém, isso não se materializou porque foi impedida.

Imediatamente fui para lá e quando cheguei ela me disse: “Cady você veio! Eu estava para me matar e aos meus filhos também!”. Ministrei-lhe Johrei durante 1 hora e regressei à casa.

À noite, quando dormia, comecei a sentir-me mal, com vários sintomas e mal conseguia abrir a boca para chamar o meu marido. Tentei levantar para abrir a porta, mas, não consegui. Só depois da 3ª tentativa é que consegui e fui ao retrato orar. Durante a oração, uma voz me sussurrou no ouvido dizendo para fazer donativo não de 5 dobras, mas sim no valor de 50 dobras e assim fiz. Logo que materializei o donativo, surgiu purificação através de diarreia e passado alguns minutos, comecei a me sentir normal.

Ao chamar o meu marido e contando-lhe o sucedido, ele muito preocupado me disse: “Tudo isso que você passou, não podia chamar-me?” Falei que tentei, mas, no momento não conseguia. Ultrapassando essa fase de purificação, graças a Deus e Meishu-Sama até à presente data, estou me sentindo bem e desenvolvendo minha missão de servir na Obra Divina. A senhora que acompanho e quase cometeu suicídio, já se harmonizou com os seus familiares e está feliz da vida.

No dia do culto mensal de gratidão do mês de Junho, eu e minhas filhas, a partir da nossa casa entramos em sintonia com a sede central. Fizemos oração, trocamos Johrei e leitura de ensinamento.

– Como fruto desta dedicação, a minha filha que estava passando por fraqueza profunda a ponto de não ficar em pé depois de um purificação com febre e dores de cabeça durante 15 dias, milagrosamente, recuperou desse mal-estar.

– A minha casa que está em construção há anos, depois dessa dedicação, o meu marido ajudou-me a adquirir materiais para levantamento do teto que estava estagnado e minhas filhas foram agraciadas com algumas peças de vestuário.

– O meu marido não me atendia, sempre que tinha necessidade de algum valor para pagar algumas dívidas. Mas, dessa vez deu-me sem dificuldades. Ele ofereceu-me uma saia, coisa que não acontecia antes.

– O meu cunhado que não gostava da palavra e nem aceitava receber flores, passou a chamar as minhas filhas de “arigatô” e graças a Deus, o mesmo está a ganhar consciência da força da fé messiânica, junto com seus antepassados.

Com essa experiência, aprendi que devemos colocar em prática as orientações.

O meu compromisso é de me empenhar cada vez mais nesta Obra de Salvação junto com os meus Antepassados.

A todos que acompanharam o meu relato de fé, o meu muito obrigada!

84 Views

Partilhar amor

Procura mais alguma coisa?

Relacionados:

Experiência de fé do dia
Reminiscência do dia
Ensinamento | Estudo Diário