Júlia José Quifata – NJ Úige – Angola

Chamo-me Júlia José Quifata, tenho 30 anos de idade. Sou membro há 15 anos e dedico como encarregada no sector de experiências de Fé.

Conheci a Igreja Messiânica Mundial em 2005 por intermédio de uma missionária da igreja por quem tenho profunda gratidão.

Os motivos me levaram a conhecer a Igreja foram:

  • Doenças como giba, dores de cabeça, vertigens e maus sonhos com frequência.

Na igreja tinha sido recebida pelo plantonista que me orientou as práticas básicas da fé Messiânica. Pratiquei-as sem dificuldades, então vi os problemas indo para bem longe de mim.

A experiência de fé que partilho com os senhores, está relacionada com a prática do Johrei, vivência da flor e a horta caseira na vizinhança, durante esta fase da quarentena.

Em maio do corrente ano, a nossa vizinha estava com a filha de cinco anos, com um quadro clínico bastante preocupante. A mesma tinha convulsões, vómitos, dificuldades respiratórias e infeccão interna segundo o diagnóstico médico. Alémdissi, também tinha paludismo.

Ficaram três (03) dias internados no Hospital Provincial. Devido à situação que o mundo está a viver, o médico passou a receita e deu alta para continuarem com o tratamento em casa. Após a alta, ficou em casa durante três dias continuando com a medicação conforme a orientação médica mas, a criança não apresentava melhorias. Isso estava a deixar os pais ainda mais preocupados.

Ao anoitecer do quarto dia, a vizinha passou em nossa casa. Perguntei sobre o estado da criança. Ela respondeu:” Já estamos há 7 dias que ela não recupera! No primeiro dia fomos a correr para o hospital, deram os primeiros socorros tendo baixado a febre. Fizemos análise e voltamos para casa mas, à noite a situação agravou! No dia seguinte, voltamos para o hospital para levantar os resultados das análises que acusaram paludismo e infeccão interna. A médica deu os anti-palúdicos e orientou para consumir bastante líquidos, caso contrário ela vai precisar de uma transfusão. Voltamos para casa mas, à noite tivemos que retornar para o hospital porque o corpo dela estava ficando muito frio e sem forças. As pernas estavam gelando. No hospital aplicaram dois soros e tivemos que internar durante três dias mas agora estamos em casa e nada de melhorias! ”

Perguntei se já  tinha ouvido falar da Igreja Messiânica Mundial. Respondeu que sim e que até o seu padrasto reza nesta Igreja mas, ele vive distante.

Falei-lhe da importância do Johrei e dos milagres que tem ocorrido na Igreja Messiânica Mundial. Ela disse : ” Eu me lembrei que vocês são messiânicos mas, não tive o princípio de manifestar isso porque o estado que ela está não sei se aceitariam ir lá em casa fazer oração, já que agora as pessoas estão com muito medo da pandemia!” Eu respondi : “Vou esperar o meu esposo. Logo que ele chegar, iremos até lá!”.

O meu esposo chegou, já cansado, por volta das 19 horas vindo do terreno da nossa Igreja, onde  tem estado a  orientar as dedicações de construção dos Banheiros. Lhe expliquei, e nem sequer banhou. Ele disse:” Vamos dar primeiro assistência e depois o resto!”

Então, seguimos até o local. Os pais estavam a jantar. Logo que entramos, a criança começou a lançar e pedimos que a colocassem do lado de  fora e assim a mãe fez.

Pedimos que ela voltasse a jantar e que ficasse a vontade. Disse que  já não tinha apetite. O meu esposo perguntou se a criança havia se alimentado ou tomado algum sumo.  A mãe da criança disse que ela  não estava a comer.

Pedimos permissão e ministramos Johrei, fizemos leitura do Ensinamento do Messias Meishu-Sama e fizemos oração . A criança transpirou bastante. Falamos da Importância da horta caseira e da alimentação natural. Pedimos para ela ir buscar couve na nossa horta para fazer sumo de couve e se puder, também um pouco de sopa para a criança.

No final, orientamos para prepararem os instrumentos de modo a fazermos a horta no dia seguinte.

Na manhã do dia seguinte voltamos a fazer assistência. A criança já tinha outro semblante. Nos informaram que o corpo que estava frio, sobretudo os pés, voltaram à temperatura normal e, graças a Deus, tinha comido bem nessa manhã. O pai tinha saído cedo e não fizemos a horta nesse dia.

Á tarde, fomos para lá novamente dar assistência e a mãe da criança nos informou que passou bem o dia, tinha brincado bastante. No terceiro dia, já encontramos a terra preparada para a horta caseira e juntos plantamos a couve e fizemos a aula da vivência da flor no lar da família .

A alegria voltou no rosto do casal e a menina está com saúde! Todos respeitam e recebem o johrei e a flor. A mãe da criança já assiste os cultos online, via facebook , em nossa casa.

Com está experiência de fé, aprendi que o Johrei é o método para criar felicidade e dar alegria às pessoas! Meu compromisso é continuar firme nesta grandiosa Obra de Salvação e participar da construção do primeiro Protótipo do Paraíso na África, o Solo Sagrado de África.

Agradeço ao Supremo Deus, ao Messias Meishu-Sama e aos meus Antepassados pela permissão de dedicar nesta grandiosa obra da construção do Paraíso terrestre e da salvação da humanidade.

Agradeço também aos ministros, missionários, membros e a todos que escutaram a minha experiência de fé,  meus sinceros agradecimentos.

Muito obrigada!

98 Views

Partilhar amor

Procura mais alguma coisa?

Relacionados:

Ensinamento do dia
Reminiscência do dia
Ensinamento | Estudo Diário