Donana Alberto – JC Quibala- Kwanza-Sul/Angola

Chamo-me Donana Alberto, tenho 51 anos de idade, resido no bairro Kifangondo, Município da Quibala, Província do Kwanza-Sul. Sou frequentadora da nossa Igreja.

Os motivos que me levaram a conhecer a Igreja Messiânica foram doenças, acusações de feitiçarias, maus sonhos e mortes constantes na família.

Para solucionar esses problemas, contactei alguns curandeiros. Num dos curandeiros onde fui, depois de adivinhar, falou que na minha família, um dos meus bisavôs da parte materna matou uma pessoa no tempo colonial. A fim de evitar que o espírito desta pessoa morta por ele o perseguisse, resolveu receber feitiço (magia negra), como também construiu uma casa de santos com objetivo de proteger a linhagem familiar, com base na sua crença.

Com o passar do tempo, esta casa de santos caiu no esquecimento, já não cuidavam da mesma. Em função desse menosprezo, prejudicou toda a sua família. Para a resolução, era necessário a reconstrução da referida casa.

Em função do sofrimento constante da irmã da minha mãe, decidimos procurar um quimbandeiro para resolver o seu problema. Este por sua vez, orientou que ela comprasse galinha, tendo ele cortado a cabeça para dar início ao tratamento, depois de feita, retornamos para casa. Surpreendentemente, no dia seguinte, meu irmão que casara recentemente faleceu subitamente, sem ter apresentado antes problemas de doença.

Um outro irmão, revoltado com a perda do irmão, convidou seus amigos militares a fim de agredirem o esposo da irmã da nossa mãe, porque desconfiava como o causador da morte do irmão e de outros membros da família. Este foi agredido e resultou no seu falecimento.

Depois da morte do tio, procuramos um curandeiro que nos disse que estes problemas tem a sua origem no meu bisavô, que descrevi no início do meu relato.  Continuou a falar que, como essas pessoas que morreram eram inocentes, então para serem desculpados pelos familiares dos mesmos, temos de comprar 2 bois, cabritos e garrafões de aguardente.

Cumprimos com as orientações, ainda assim, o resultado não foram os esperados.

Um dia, sonhei com este quimbandeiro me dizendo: ” Pretendo te amigar (assumir como esposa), pelo facto do teu esposo ter falecido!”. Partilhei o sonho com os meus familiares, estes aconselharam a me manter distante do senhor.

Em 2010, mudei de cidade e fui residir na cidade da Quibala, onde comecei meu trabalho no campo.

Certo dia, de regresso para casa encontrei dinheiro em cima da cadeira, surpresa com o que encontrei, fui perguntar aos vizinhos se viram alguém em minha casa. Os vizinhos responderam que não. Decidi não mexer o referido dinheiro, minha filha pegou os valores e colocou na boca sem eu perceber. Quando dei por conta o dinheiro não estava no lugar, na procura, constatei que a minha filha tinha algo na boca, quando abri-lhe a boca era o dinheiro, tirei logo.

Com medo, fui ao encontro de um curandeiro do bairro. Este falou que, a pessoa que colocou o dinheiro em minha casa, o fez com intenção de me fazer mal, para evitar esse mal, precisava comprar um litro de aguardante e galinha, para expulsar o suposto demónio e mesmo assim o problema não acabou.

Consegui emprego na casa de uma senhora, para acabar de pagar a divida que contrai durante o tratamento com o curandeiro, consegui saldar a dívida. Depois de pagar, fui morar em Luanda, conheci uma pessoa que se tornou meu esposo, vivemos juntos até que o meu  segundo filho ficou doente com malária avançada,  começou a quebrar as coisas em casa, recorri em tratamentos caseiros, teve resultado temporário, isto porque dois anos depois o problema voltou mais intenso.

Procurei ajuda em algumas igrejas, sem resultados satisfatórios. Passei a lamentar o porque de tantos sofrimentos, este sofrimento durou 20 anos.

Foi assim que a irmã missionária encaminhou-me à Igreja Messiânica, onde fui recebida pelo responsável da unidade. Após ter ouvido atentamente o relato do meu sofrimento, orientou-me as práticas básicas da fé.

Receber Johrei, peregrinar ao polo agrícola do Italiano, participar nas marchas de visitas as casas de membros e frequentadores.

Ao longo de um mês, comecei a notar melhorias significativas.

No mês de Abril, comecei a purificar fortemente com dores de coluna, dores do peito e dor de dente. Não me permitia fazer determinadas actividades. Sendo assim, solicitei Johrei e me foi atendida, passei a receber assistência religiosa.

Na noite, ouvi em sonho a voz de alguém que me disse: “Você não está a escrever os nossos nomes para levar a igreja para cultuares! ” Depois fui orientada para fazer o donativo de pedido de perdão, realizar o culto acumulado de 10 dias de falecimento do meu sobrinho e do meu neto.  Com o cumprimento destas orientações, a dor que sentia passou.

Com essas experiências, aprendi que quando colocamos em prática as orientações que nos são dadas pelos superiores, tudo que nós sentimos fica ultrapassado!

Como gratidão a Deus e a Meishu-Sama, já encaminhei 6 pessoas à igreja das quais todas se tornaram frequentadores!

Agradeço a Deus, ao Messias Meishu-Sama e aos meus antepassados pela permissão que me concederam em conhecer este maravilhoso caminho da salvação!

Muito obrigado a todos!

76 Views

Partilhar amor

Procura mais alguma coisa?

Relacionados:

Ensinamento do dia
Reminiscência do dia
Ensinamento | Estudo Diário