Inocêncio Keita Francisco – JC Boavista/Bié/Angola

Chamo-me Inocêncio Keita Francisco, sou responsável do Johrei Center da Boa-Vista.

A experiência de fé que gostaria de compartilhar está relacionada em acompanhar ou orientar as pessoas com base nos ensinamentos do Messias Meishu-Sama.

Durante o meu período de seminário no Japão, o nosso responsável do seminário sempre nos orientava sobre a importância da leitura e prática dos ensinamentos. Ele dizia que os ensinamentos estavam acima de qualquer coisa dentro da Igreja Messiânica e em tudo sempre procurava orientar-nos com base nos ensinamentos, sempre a  mencioná-los durante os assuntos diários. Assim, mostrava sempre que  nós precisávamos interiorizar e dar vida aos ensinamentos.

Durante o período de aprimoramento o que mais me marcou ainda, foi quando fui para a difusão na Igreja de Shizuoka, onde encontrei um reverendo que me passou como tarefa, todas as noites fazer cópia de um ensinamento de Meishu-Sama e depois fazer uma reflexão sobre este. No dia seguinte, no início das actividades, tinha de apresentar  o que havia entendido, falar sobre a minha percepção.

Já em Angola e durante essa fase da pandemia, tenho notado também que o Reverendo nos seus cultos e encontros, tem sempre usado os ensinamentos para nos orientar, o esforço que tem feito de não falar nada sem fazer menção aos escritos do Messias Meishu-Sama. Os aprimoramentos aos sábados, me têm feito reflectir muito sobre a missão desses escritos.

Assim, decidi colocar isso em prática na minha vida missionária e quotidiana e sempre que me deparo com uma situação, procuro não orientar baseado nas minhas próprias convicções mas, em buscar o ensinamento que tenha  relação  com a situação.

Durante esse mês, aconteceram dois episódios que marcaram-me muito e gostaria de partilhar.

Uma missionária tinha o filho de 22 anos de idade que é membro, mas  perdeu o Ohikari e passou a consumir muita bebida alcoólica e estupefacientes. Este jovem, certa noite por volta das 22 horas, já drogado, entrou no quarto dos pais e mandou a mãe levantar da cama, sem se importar com a presença do pai. Começou a gritar com a mãe sem motivo aparente, impedindo-a de dormir. O seu pai, incrédulo com a atitude do filho, apenas ficou calado. De manhã este disse à mãe que ao voltar do serviço na sexta-feira, não queria mais encontrar o filho em casa, pois estava cansado do seu comportamento.

Preocupada, a mãe falou com a sua cunhada, que é responsável, e esta falou comigo sobre o sucedido. Como ele dedica numa unidade diferente da minha, pedi que me encontrasse na minha unidade ou em minha casa, mas não tive sucesso. Ele dizia que estava a caminho mas, não chegava como combinado. Isso aconteceu nas três vezes que marcamos.

Foi assim que numa quarta-feira no centro de aprimoramento, após eu terminar a palestra, a mãe do jovem, veio ter comigo e disse: “Responsável, ajuda-me pois já não sei o que fazer com o meu filho!”. Assim, contou a sua situação. Então, combinei com ela que iria na quinta-feira em sua casa, mas, que  não falasse nada ao seu filho e assim fez.

No dia seguinte, fui para lá. O jovem, assim que me viu se escondeu e como a casa tem duas portas, fugiu pelas traseiras. Orei com as suas irmãs e ofereci Johrei à mais velha. Durante o Johrei, fui entrevistando-a. Perguntei como estava a sua relação amorosa e pude perceber que ela não tinha nenhum objectivo no namoro e não sabia qual era a missão do namoro. Então, decidi estudar com ela o ensinamento do Messias Meishu-Sama “A Filosofia do Amor”, parágrafo por parágrafo e ela pôde entender qual era a visão do namoro segundo o Messias Meishu-Sama e disse que estava disposta a mudar a forma de pensar. Então, dei-lhe a tarefa de buscar mais por Meishu-Sama e que se esforçasse para se aproximar do coração Dele. Chamei atenção dela no sentido de aprimorar mais a sua missão como filha e como membro de Meishu-Sama, tendo a consciência de que como jovens, somos os líderes do século 21.

Quando terminava a conversa com a sua irmã, o jovem apareceu pensando que eu já tivera ido e assim que me viu, assustou. Ofereci-lhe o Johrei e fomos conversando, até que ele começou a desabafar, sobre a sua vida e os seus sofrimentos. Estudamos o ensinamento “O que é a Igreja Messiânica Mundial”, fazendo entender qual era a missão do membro da Igreja Messiânica e o que ele poderia fazer para merecer a confiança de Meishu-Sama, para ganhar a permissão de participar da construção do Paraíso Terrestre, pois o Messias está a contar com ele.

Depois de me ouvir, disse que entendeu, e poderia se esforçar para merecer a confiança de Deus. Terminamos a conversa, quando disse que poderia voltar para minha casa porque já era noite, prontificou-se em me acompanhar. Entrou no seu quarto e saiu com  o estupefaciente embrulhado em papel e colocou no bolso. Olhei e não lhe disse nada. Me acompanhou e de regresso decidiu fumar mais uma vez, tendo chegado em casa às 22 horas. Chegou bêbado e drogado, chamou a mãe, levou ela até fora de casa, apresentou a ela um saco cheio de pacotes de whisky e quase meio kilo de estupefaciente dizendo que estava a abandonar tudo e queria recomeçar. A sua mãe não acreditou no que via, pensando que era mentira. Passaram-se dias e o menino não fumava e nem bebia.

Após tomar a sua decisão, o Jovem apareceu no culto mensal de agosto no Centro de Aprimoramento. A sua mãe não conteve a felicidade! Pela graça de Deus, há duas semanas que ele não consome nada e voltou a frequentar a Igreja!

A sua irmã, passando duas semanas da última conversa que tivemos, na terça-feira, decidiu perguntar ao namorado qual era o seu objectivo no namoro, e ele por sua vez respondeu que não tinha nenhum objectivo e ela não era mulher para ele casar, que não passava de uma curtição. Ao ouvir isso, ela entrou em estado de choque e não pensou duas vezes. Foi para a farmácia, comprou uma lâmina de comprimido diazepam. Na quarta-feira, quando eram aproximadamente 21 horas, se fechou no seu quatro e assim que tentou ingerir os medicamentos, ela disse que via o meu rosto. Tentou pela segunda vez, apareceu novamente o meu rosto, foi assim que pegou no seu telefone e mandou-me uma mensagem dizendo: “Responsável quero morrer! Me ajuda por favor!”. Assim que vi a mensagem, entrei em contacto com ela e pedi que ficasse calma, que poderia conversar com ela no dia seguinte. Pedi-lhe que não fizesse nada e  procurasse ler ensinamento de Meishu-Sama para relaxar. Assim fez e acabou por adormecer.

No dia seguinte me procurou e contou-me os motivos que lhe levara a querer se matar. Que tinha criado muita expectativa no relacionamento, que estava a se sentir usada e muitas outras coisas. Ao investigar mais, me relatou que o mesmo era seu professor, e que esse ano engravidou uma jovem e não assumiu a paternidade. Falou tudo e no final lhe fiz entender que aquilo era a mensagem de Meishu-Sama e embora estivesse dorida poderia agradecer, pois foi salva por Meishu-Sama. E que talvez pelo estilo de vida que ele leva, poderia passar uma doença sexualmente transmissível ou alguma coisa  que comprometesse o seu futuro.  Estudamos ensinamento e no final li para ela um do texto do livro encontrando um caminho e dei para ela estudar. Ela que veio a chorar, voltou alegre e no final me agradeceu dizendo que tinha salvado a vida dela. E dei-lhe uma tarefa dentro da Igreja.

Com essa experiência, aprendi que devemos nos centralizar cada vez mais nos ensinamentos de Deus revelados ao Messias Meishu-Sama em tudo que realizarmos na obra divina e no nosso quotidiano.

O meu compromisso é continuar a aprofundar na vida das pessoas, compartilhar com todos os aprendizados e as coisas novas que o Messias tem me proporcionado e me esforçar cada vez mais para me aproximar do coração do Messias através do estudo constante dos seus escritos sagrados.

Agradeço a Deus, ao Messias Meishu-Sama e aos meus antepassados!

A todos os presentes os meus sinceros agradecimentos!

Muito obrigado!

 

97 Views

Partilhar amor

Procura mais alguma coisa?

Relacionados:

Ensinamento do dia
Reminiscência do dia
Ensinamento | Estudo Diário