MIQUELINA PORTELA – CA MACULUSSO – LUANDA -ANGOLA

Chamo-me, Miquelina de Jesus Ferreira Duarte Portela. Sou missionária e dedico como responsável da Rede de Salvação da zona do Mártires e arredores.

A experiência de fé que passo a relatar, está relacionada com a oração, donativo de pedido de perdão e gratidão pela purificação.

No princípio do mês de Julho do corrente ano, purifiquei com malária cerebral. Com o recebimento de Johrei e a gratidão através do donativo e o consumo de alimentos da Agricultura Natural, em duas semanas, graças à Deus e ao Messias Meishu-Sama, fiquei recuperada!

No dia 16 de Agosto do ano corrente, eu e meu esposo decidimos almoçar em casa da minha irmã, residente no bairro Marçal. Após o almoço, decidi fazer 2 arranjos e minibanas para espalhar pela casa. Após isso, tivemos uma pequena conversa sobre o desentendimento no lar. Minha irmã estava chorando, dizendo que havia de abandonar a casa, pois já não aguentava com o comportamento do marido. Naquilo tudo, passado pouco tempo, meu cunhado incorpora e entra em crise. Entramos em pânico, principalmente a minha irmã e o filho. Eu mantinha-me calma, juntamente com o meu esposo.

Em seguida, transportamos meu cunhado ao hospital Américo Boa Vida. Na porta do banco de urgência, nos deparamos com dois jovens. Chamei um deles pedindo ajuda para apoiar o meu cunhado na maca, uma vez que ele não andava. Em seguida, uma enfermeira pediu-me para que fosse um instante tirar os dados do paciente. Só estávamos eu e a minha irmã, pois o meu sobrinho tinha ficado no portão da entrada num conflito com os guardas. Sem demora no fornecimento dos dados, uma vez que deixei o carro a trabalhar e com a porta aberta, o mesmo jovem que ajudou-nos a levar o meu cunhado, foi o mesmo quem levou o nosso carro. Seu amigo veio dizendo que tinha ido parquear a viatura, uma vez que iria entrar uma ambulância. Convencida que fosse uma ação altruísta, afinal desapareceu com o carro. Muito calma que me encontrava naquela noite, por volta de 21 horas, novamente fui agradecendo várias vezes pela purificação. Liguei de imediato para o responsável, que orientou-me a agradecer bastante e em casa fazer um donativo de pedido de perdão e de gratidão. Assim que cheguei, fiz a oração.

No dia seguinte, antes de ir à esquadra, passei no Maculusso e fiz novamente um donativo de pedido de perdão e gratidão. Assim, fui à esquadra buscar o número do processo.

Continuei a fazer as minhas dedicações normalmente.

Passado dois dias, ligaram-me pedindo a minha comparência na esquadra para reconhecimento da viatura, que já se encontrava naquele local.

Naquele momento, não haviam palavras que traduzissem a minha gratidão! Com tanta emoção, comecei a lagrimar, agradeci e fomos todos para a esquadra, eu o meu esposo, filho, sobrinho e o próprio doente que tinha tido alta no dia seguinte do acontecimento. Deparamos com o carro faltando os dois pneus de trás e a bateria. Mesmo assim, agradeci pela viatura ter aparecido! Passado três dias, já tínhamos o carro em casa.

Aprendi com essas experiências, que devemos aprofundar nas práticas básicas da nossa Igreja para salvar os nossos Antepassados, ganhando forças, levando a Luz para outras pessoas!

Agradeço a Deus, ao Messias Meishu-Sama e aos meus Antepassados por ter conhecido este caminho da verdade!

Agradeço a todos que escutaram atenciosamente o meu testemunho de Fé!

Muito obrigada!

170 Views

Partilhar amor

Procura mais alguma coisa?

Relacionados:

Experiência de fé do dia
Reminiscência do dia
Ensinamento | Estudo Diário