Rita Ventura- JC Benguela – Angola

Chamo-me Rita Maria Ventura, sou membro e dedico como encarregada das experiências de fé.

A experiência de fé que passo a relatar aos senhores está relacionada com a desobediência às orientações.

A dada altura, decidi abandonar o meu compromisso na unidade e passei a dedicar noutra, só que dedicava na forma.

Um mês depois, comecei a ter algumas advertências, tais como:

Perdi o meu cartão multicaixa e no momento do pagamento dos salários não podia receber o dinheiro, pois diziam que o meu bilhete de identidade estava em estado de má conservação.

Assim, reconheci no notário uma cópia do bilhete a fim de passar a levantar os salários. Mas, o banco não aceitou dizendo que ninguém deveria levantar o salário sem o bilhete de identidade. Contudo, eu via outros funcionários que se encontravam nas mesmas condições a serem atendidos. Devido a isso, o meu salário ficou cativado durante algum tempo.

O director da escola em que trabalho, apareceu em minha casa e, aborrecido, pediu que eu comparecesse na direcção municipal de educação.

Lá, tomei conhecimento que não havia na direcção da escola nenhum documento meu e que estava na condição de funcionário fantasma. Mas, isso não era verdade. Então, me dei conta que algo se passava.

Muito preocupada com essa situação, liguei ao ministro a explicar tudo o que se estava a passar. Após me ouvir atentamente, orientou-me a pedir perdão a Deus, ao Messias Meishu-Sama e aos antepassados no meu altar. Além disso, assim que tratasse do assunto na direção municipal da educação, que regressasse urgente para o Centro de Aprimoramento e dedicasse!

Cumpri com a orientação e graças a Deus, retornei à minha tarefa no Johrei Center.

Incrível foi que depois disso, a direção municipal pediu somente que renovasse toda a minha documentação que havia desaparecido da escola. No decorrer desse processo, surgiram algumas irregularidades que não deixavam o processo avançar. Conversei novamente com o ministro. Ele passou-me outras orientações e pediu-me que fosse sincera para com os meus chefes. Ganhei coragem, abri o meu coração e tudo voltou ao normal.

Com essas purificações, ganhei permissão de renovar o meu bilhete de identidade; fui dispensada pelo director da escola e vi nisso uma oportunidade para cumprir a minha missão e com a permissão de todos os meses poder levantar o meu salário. Também já fui inscrita para a reforma! Na altura, tinha 35 anos de serviço mas, receava pedi-la pelos motivos já referenciados.

Ganhei força para peregrinar aos lugares de maior luz!

Graças a Deus e ao Messias Meishu-Sama, que iluminaram o meu caminho, recebi a graça de concretizar a minha reforma no dia 28 de setembro do ano corrente, o que espantou toda a minha família.

Tenho encaminhado pessoas à igreja, das quais 3 são membros e 4 frequentam a igreja.

Aprendi que tudo que julgamos ser impossível, Meishu-Sama transforma e se torna possível! Precisamos acreditar que Meishu-Sama é o Messias esperado pela humanidade!

O meu compromisso é de aprofundar na minha tarefa e despertar os moradores do meu bairro, para juntos levarmos a corda da salvação para outras pessoas!

Agradeço ao Supremo Deus, ao Messias Meishu-Sama e aos meus antepassados!

A todos que partilharam do meu relato de fé, os meus sinceros agradecimentos!

Muito obrigada!

125 Views

Partilhar amor

Procura mais alguma coisa?

Relacionados:

Ensinamento do dia
Reminiscência do dia
Ensinamento | Estudo Diário