Saudação do Presidente da Igreja Messiânica Mundial de África

Culto Mensal de Gratidão de Agosto de 2021

Saudação do Presidente da Igreja Messiânica Mundial de África

Reverendo Claudio Cristiano Leal Pinheiro

Bom dia a todos!

Os senhores estão a passar bem?

Gostaria de agradecer, do fundo do coração, pelo esforço de todos os senhores em prol da expansão da Obra Divina em Angola e por   todo nosso querido continente Africano.Em particular, nossa gratidão a todos que estão a se empenhar na expansão da Agricultura Natural Messiânica na África e no mundo inteiro. Parabéns a todos esses, em especial, no dia de hoje!

Hoje, durante a oração, na pausa silenciosa , agradeci a Meishu-Sama pelo mês de Julho, pelas bênçãos, pelas purificações e pela proteção que tivemos. Agradeci também pela permissão de conhecermos o Johrei, os ensinamentos e em particular a agricultura natural.

Também durante a oração, agradeci muito a todos que vem praticando esse método desde que Meishu-Sama nos orientou décadas atrás no Japão. Também mentalizei  todos os que vem trabalhando na área da Agricultura desde que a humanidade se organizou e criou a nossa sociedade actual.

Ao longo desses milhares de anos, o esforço dos que trabalham na agricultura poucas vezes foi reconhecido e praticamente não é reconhecido ainda. Esse é um dos pontos que mexeu muito com Meishu-Sama na década de 30 e lhe fez querer  eliminar o sofrimento dos camponeses que são a base da sociedade. Sem os agricultores nós não podemos ter professores, religiosos, médicos, políticos etc. Isso porque eles é que produzem o alimento da sociedade. Mas, mesmo no Japão naquela época doeu muito no coração de Meishu-Sama ver a pobreza, a miséria que os agricultores viviam e a forma como eles não eram reconhecidos pela sociedade.

Porque quando nós falamos sobre construção do Paraíso Terrestre, a construção  da verdadeira civilização não é possível sem aprofundar na mudança do nosso método de produção de alimentos e dos nossos costumes alimentares também.

É muito importante essa consciência nossa quando falamos da nossa missão de Construção do Paraíso. Sem o Johrei, sem agricultura natural e sem o belo, não vamos conseguir chegar no Paraíso terrestre!

Então, quando falamos de praticar a Agricultura Natural o principal objetivo nosso precisa ser utilizá-la como meio para a construção do Paraíso terrestre; utilizar a agricultura como meio para revelar a existência de Deus!

Quando nós começamos a praticar a agricultura do jeito que Meishu-Sama ensina sem usar adubo e sem usar pesticidas,  conseguimos ver que existe uma força invisível que é emanada do solo, que move o mundo visível e aí começa a mudar nosso paradigma em relação a existência de Deus.

Então, a agricultura natural, o objectivo maior dela é mostrar que Deus existe de uma forma concreta! Quando nós ensinamos isso para os nossos filhos,  vamos lhes mostrar que existe essa força da terra que gera a vida. Vamos ensinar para os nossos filhos também que na lei da grande natureza, você só pode colher o que você um dia plantou.

Nós estamos tendo várias experiências marcantes de famílias messiânicas aqui na África que, com a prática da horta caseira conseguiram melhorar a saúde, gerar mais harmonia em casa e ensinar os filhos e netos a respeitar a natureza, a se preocupar em lhe preservar.

Porque se nós não temos contacto com as plantas, com a terra, não vamos conseguir nos preocupar em lhes deixar como herança para os nossos descendentes. Por isso é tão importante essa nossa prática diária da Agricultura Natural, da alimentação natural.

Tivemos uma experiência de fé em Moçambique, de um missionário, que no seu local de trabalho, estava a ter muitos conflitos. Sempre aconteciam acidentes com as viaturas, haviam muitos desentendimentos entre os colegas. Ele então começou a refletir: “O que eu como messiânico posso fazer para ajudar a transformar essa situação!?”. Então, ele ouviu uma das palestras a falar sobre Agricultura natural e a construção do Paraíso a partir do nosso lar, do nosso local de trabalho. No quintal  do seu serviço havia um terreno abandonado. Assim, ele conversou com os chefes e colegas e perguntou se podiam fazer ali uma horta. Os chefes responderam que podia. Então, ele explicou o nosso método agrícola para os colegas, e juntos limparam o terreno, fizeram os canteiros e prepararam as mudas. Começaram a cuidar da horta e com isso começou a mudar o ambiente do local de trabalho. Depois de um tempo, os colegas começaram a provar os produtos e  querer saber mais sobre nosso método agrícola.

Assim ele disse para os colegas: “Porque é que nós não começamos o dia chegando um pouco mais cedo e cada um de nós faz a oração da sua igreja também? E vocês podem começar a receber o Johrei!”. Alguns colegas aceitaram e começaram a chegar antes do horário de expediente, cada um a fazer a sua oração, todos juntos. Eles começaram a receber johrei, a fazer a ikebana e levá-la  para as suas casas. Dessa forma, pararam os acidentes com as viaturas e nasceu mais harmonia no serviço. Alguns dos colegas já começaram a frequentar a igreja e na casa deles,  já levaram a prática da horta e da ikebana. Estão a receber Johrei no dia a dia, a partir do local de trabalho.

Tudo começou com a horta, mexendo na terra! Por isso é tão importante o nosso esforço para praticar na nossa casa, onde trabalhamos, levar para o maior número possível de pessoas.

Nessa fase, principalmente que o nosso planeta está a passar de insegurança alimentar, com muitas famílias passando fome, com essas mudanças climáticas que estão a acontecer. Isso tem relação também com o desrespeito às leis da natureza, principalmente na forma como produzimos os alimentos.

Então, a nossa tarefa, como foi pedido no mês passado, de cada unidade ter uma horta comunitária, seja qual for a unidade religiosa. Através dessa horta no bairro, podermos produzir junto com os vizinhos. Dessa maneira, principalmente as famílias mais carentes no bairro poderem se alimentar a partir dali, e poderem ver que é possível levar essa práticas para os seus quintais, para as suas lavras.

Graças a Deus tem aumentado o número de produtores que seguem o nosso método; e já estão a conseguir oferecer produtos mais saudáveis à sociedade, ao mesmo tempo que estão a manter a terra e água limpos, puros, através da prática do nosso método agrícola.

Quando nós messiânicos, dizemos que “Nós é que traçamos o nosso destino”, precisamos também relacionar o traçar o meu destino com a prática da Agricultura e da Alimentação Natural.

Hoje, o que eu vivo, é fruto do que eu plantei através dos meus pensamentos, sentimentos, palavras e ações. Mas, quando eu falo das minhas acções, uma das acções que nenhum de nós pode deixar de praticar é a acção de se alimentar. Não é assim? Se eu começar a falar aqui durante quatro horas os senhores vão ficar nervosos e ficar com fome não é verdade? Todo mundo precisa comer todos os dias. Nós também traçamos o nosso destino de acordo com o que nós comemos no dia a dia. O que eu como e o que a minha família come todos os dias vai ser semente para a saúde ou semente para a doença. “Ah, mas eu recebo Johrei!”. Porém, o que eu estou a ingerir todos os dias!?

Hoje, boa parte das doenças que afligem a nossa sociedade, tem origem no que nós ingerimos, no que nós comemos no dia a dia. Por isso é importante, como messiânicos, levar  essa consciência para o maior número de pessoas. Precisamos ganhar a permissão de ter muitos pequenos, médios produtores que consigam praticar esse método, e oferecer produtos naturais para sociedade. Isso também é o que vai gerar lares de luz, lares saudáveis, vai preservar o nosso meio ambiente e vai gerar a verdadeira felicidade para o mundo!

É muito importante através dessa coluna, desenvolvermos essa consciência e cada um de nós  levar esse esclarecimento para o maior número possível de pessoas.

Eu gostaria que o dia de hoje marque uma nova partida para nossa prática e expansão desse método agrícola que o Messias Meishu-Sama nos outorgou!

Nós estamos vendo toda essa preocupação  com a pandemia e com outras doenças. Porém, a verdadeira segurança material, concretamente é você ter um sistema imunológico forte! E para isso, além do Johrei, precisamos conseguir consumir cada vez mais alimentos naturais, que vão limpar o nosso sangue, fortalecer nosso sistema imunológico, de forma que ele esteja preparado para enfrentar qualquer tipo de vírus que apareça! Essa é a verdadeira segurança material não só para o Corona mas para qualquer outra situação!

Ao mesmo tempo, no ensinamento que nós ouvimos hoje sobre as cinco inteligências, Meishu-Sama fala que um dos maiores problemas do sofrimento da sociedade é a falta da Inteligência superior .

Meishu-Sama diz aqui: “A causa disso é a escassez de inteligência superior. A escassez de inteligência superior se dá porque o cérebro se encontra nublado. O cérebro acha-se nublado porque isso é causado pelos pensamentos malignos e os pensamentos malignos são decorrentes da devoção ao materialismo. A devoção ao materialismo provém do não reconhecimento da existência de Deus. Supondo que o não reconhecimento da existência de Deus ocorre porque falta uma religião, capaz de fazer as pessoas acreditarem nele, temos de admitir que a religião que tem a capacidade de mostrar claramente a existência de Deus, é verdadeiramente viva.”. 

E a religião que vai mostrar a existência de Deus é a Religião Messiânica através do johrei e através também da Agricultura Natural! Quando as pessoas começarem a praticar e ver um resultado sem precisar aplicar nada, elas vão começar a despertar que existe o invisível e isso vai mudar totalmente o paradigma delas. Então, nós precisamos praticar a Agricultura Natural com esses sonen de ligar as pessoas com Deus. Mesmo quem disser que não acredita, não tem problema. Vamos praticar, experimentar. Do mesmo jeito que o contato com o belo também leva a pessoa a despertar naturalmente, pois purifica o espírito, o sentimento, quando a pessoa começa a praticar a agricultura, do jeito que Meishu-Sama nos ensina, também vai começar a despertar para a existência de Deus. Vai começar a quebrar a raiz do materialismo e permitir desenvolver a verdadeira sabedoria recebida do Supremo Deus!

Esse mês de julho foi um mês muito especial para nós messiânicos de Angola, de África. Tivemos a permissão de realizar a inauguração de várias unidades religiosas aqui em Luanda. Nós tivemos a permissão de inaugurar o Johrei Center do Kilamba Kiaxi, o Johrei center da Ecocampo em cacuaco, o Centro de Aprimoramento do Morro Bento, o Centro de Aprimoramento do Maculusso, O Johrei Center da BCA no cazenga, o Johrei Center do Bairro Novo na Estalagem e o Johrei Center da Incultal também em Viana. Parabéns a todos pela abertura das novas unidades religiosas!

Essas novas unidades são frutos do esforço sincero dos fiéis dessas unidades e de todos os outros que estão a ministrar Johrei, levando Meishu-Sama no dia a dia para o maior número de pessoas. Essas práticas que estão a limpar a atmosfera espiritual, permitindo concretizarmos a expansão da obra do Messias Meishu-Sama.

Foram  dias de muita alegria, fazendo as cerimónias, vendo a felicidade no rosto dos fiéis, ouvindo as experiências de fé ligadas com a construção das unidades, com o trabalho de difusão. Eu deixei muito claro para os nossos irmãos que a inauguração das unidades não era o fim  e sim o início de uma nova etapa da construção do Paraíso a partir daquela unidade que foi inaugurada.

Eu pedi que cada unidade religiosa possa ter uma programação semanal de limpeza do bairro e de montagem de hortas e plantação de árvores nas casas dos vizinhos e nas ruas do bairro. Isso por quê cada unidade religiosa tem a missão de construir o Paraíso Terrestre e salvar a humanidade a partir daquele local.

Então, é muito importante utilizarmos esses locais com a força das imagens que foram entronizadas para, a partir dali, nascerem novos lares de luz. Lares livres de doença, pobreza e conflito, levando o Johrei para os vizinhos levando essa consciência da construção do Paraíso através da limpeza, através da Agricultura, da alimentação natural, através da prática do Belo no nosso cotidiano.

Cada vez nós vemos o sofrimento no mundo aumentando, o desespero nos lares e ao mesmo tempo nós vemos como são felizes as pessoas que tem a permissão de conhecer o Johrei. Ouvimos hoje a experiência maravilhosa da nossa irmã através da rede da salvação, como ela está sendo utilizada para transformar a vida daquelas famílias. Família por família vamos começar com o Johrei, algumas vamos começar  com a horta na casa delas, outras com a entrega da flor, com a vivência de ikebana com a família, mas vamos levar Meishu-Sama para o mundo!

Cada vez mais essa força para construir o paraíso através do Johrei e das demais Colunas da salvação está maior. Nós precisamos nos ligar com essa força.

Eu recebi uma experiência que aconteceu na República Democrática do Congo na cidade de Matadi e gostaria de compartilhar com os senhores.

Chamo-me Tshoungani Aimé.  Tenho 65 anos de idade e sou frequentadora do Núcleo de johrei de Matadi.

Conheci a Igreja Messiânica Mundial em março de 2021 por meio da Sra. Ntukadi Judith, uma frequentadora desta igreja na altura por causa dos problemas de saúde que me oprimiam.  Desde 2018, sofria de hipertensão, gastrite e angina.

Fui submetida ao tratamento da medicina moderna.  Mas, a recuperação total estava longe de ser encontrada.  Eu tive alívio de vez em quando. Fui consultar os curandeiros e a situação permaneceu quase a mesma.  Eu trabalho em um restaurante, me esforçando muito, apesar da minha condição. A Sra. Judith, minha cliente no restaurante, me ouviu conversando com minha irmã mais nova sobre como encontrar um curandeiro para me tratar.

É assim que ela nos contou sobre os milagres do Johrei da Igreja Messiânica Mundial.  Ela me deu o endereço da igreja, mas como fica perto da nossa antiga igreja, recusei-me a ir, com medo de ser vista pelos fiéis da minha antiga religião.  No entanto, prometi a ela que se não estivesse melhorando com o curandeiro, iria para a Igreja Messiânica Mundial.

Deixou seu número de telefone e de vez em quando, ela ligava para mim para chegar à Igreja.  Entretanto, minha condição havia piorado.  Como eu havia perdido seu número de telefone, não pude mais ligar para ela.

Meu corpo inteiro estava cheio de feridas e já não conseguia usar roupa interior. Eu me cobria com um pano. Não podia mais sair do quarto, fazia todas as necessidades de higiene no quarto.

Fui levada para o hospital.  Lá fui diagnosticada que o líquido dos joelhos havia secado e os ossos da coluna estavam soltos.  Comecei a fazer o tratamento médico que durou quatro meses.  Felizmente, tive um alívio temporário. Alguns dias depois, as dores nas pernas, hipertensão, angina e abscessos começaram a aparecer por todo o corpo virando feridas e hemorróidas foram acrescentadas ao meu sofrimento .  Tudo começou com um líquido aparecendo em um lugar antes de se transformar em um abcesso .  Minha irmã mais nova encontrou a Sra. Judith novamente e explicou-lhe que minha saúde havia piorado e por causa disso ela também, minha irmãzinha, estava sofrendo de hipertensão arterial e gastrite.

 A Sra. Judith apenas levantou a mão para minha irmã mais nova e ministrou o Johrei, prometendo-lhe que voltaria para casa no dia seguinte para cuidar de mim.  Feito, no dia seguinte ela voltou para casa.  Na segunda vez, ela trouxe outro missionário.  Entretanto, todos os membros da minha família vieram se reunir e buscar uma solução para mim.  Após a reunião, eles concordaram em me levar de volta ao hospital.  Eu me opus, dizendo a eles que minha situação piorou no hospital e que eu tinha que continuar recebendo Johrei.  A família me entendeu.

Mostrei meu corpo à Sra. Judith, que ficou surpresa com minha condição.  Ela me encorajou a continuar com as práticas básicas para a minha salvação. Orientou-me a receber muito Johrei, a fazer uma reflexão profunda e materializar um donativo especial de gratidão pela purificação.  Após três semanas de Johrei, limpeza da casa e um donativo especial de gratidão, todas as feridas sararam.  Apenas um ferimento permaneceu na perna direita.  Não havia como andar.  A limpeza foi realizada em casa para grande satisfação dos meus filhos e dos meus trabalhadores.  Naquele mesmo dia, tive um sonho em que vi meu falecido pai pedindo que todas as crianças recebessem Johrei.  Falei com o missionário sobre isso e as crianças começaram a receber Johrei, embora com dúvidas. 

A irmã mais nova também estava recebendo Johrei por causa de várias doenças de hipertensão e da gastrite que estava sofrendo por causa de mim.  Por meio das práticas básicas, ela foi curada e continua frequentando a Igreja.  Dada a persistência dos demais sintomas, (dores no corpo, hipertensão, dores de gastrite e hemorróidas), o Missionário insistiu que eu me esforçasse para chegar na unidade para receber o Johrei intensamente e que fizesse o donativo especial de gratidão pela purificação.  Ele me explicou a importância de frequentar os lugares de maior luz.  Fiz esse esforço para chegar lá e depois de fazer o donativo especial e doar cadeiras para a igreja, com cinco dias de Johrei, milagrosamente todos os sintomas desapareceram completamente! Também fiz um donativo de gratidão por essa mudança.  Estou com boa saúde hoje.  Minha irmã mais velha veio me visitar porque me deixou acamada.  Quando ela chegou, não me reconheceu.  Ela me perguntou: “Aimé, é você? “. Eu disse “Sou eu! ”.  Ela me perguntou de novo: “Quem te curou?  Você mudou de igreja?”.   Disse a ela: “Sim!  Eu fui curada pelo Johrei da Igreja Messiânica Mundial!”.   Ela me disse: “Eu também não estou bem. Sinto dores dos pés aos joelhos e me dá insônia.  Você pode me levar lá?”.   Eu falei pra ele: ” Amanhã eu te levo lá!”. Ela chegou à igreja, está recebendo Johrei, as dores estão visivelmente reduzidas e ela já dorme profundamente!

Minha família que mora em Kinshasa enviou alguém à minha casa para vir me buscar e fazer algumas pesquisas para descobrir quem é o autor do meu sofrimento.  Quando o senhor chegou, ele me encontrou preparando comida.  Ele ficou surpreso e disse : “Mãe, como vai você?”.   Eu disse: “Tudo bem!”.   “Você está curada?”.   “Sim!”.   “Como?”.” Pelo Johrei! “. Ele disse:” Fui enviado para te levar em Kinshasa! “.   Ele me fotografou e voltou para Kinshasa.

Todos esses milagres me fizeram perceber que a força do Johrei é extraordinariamente grande e junto com as outras práticas básicas salvam a humanidade mudando seu destino! Graças a esses milagres, 7 pessoas da minha família receberam Johrei, incluindo minha irmã mais nova, minha irmã mais velha, a esposa do meu filho, duas crianças muçulmanas, bem como oito pessoas que vendem no mercado, e os amigos que me viram sofrer, acamada, seguiram me à igreja e recebem Johrei.  A vida deles está mudando.  Quando meus dois filhos viram minha recuperação, pensaram que eu havia recebido outra coisa na igreja além do Johrei.  Eles me perguntaram se além do Johrei eu recebia mais alguma coisa para a minha cura. Eu disse a eles que não.

Eles começaram a receber Johrei com muita força de vontade, enquanto antes tratavam o Johrei como mágica.  Por isso, o meu compromisso consiste em me tornar membro.  Já fiz o donativo de Ohikari e também já materializei o donativo para receber a imagem do Lar.”

Ela está com pressa mesmo, já fez  o donativo do Ohikari e do altar do lar! Isso é para os senhores verem que o que vai mostrar para a sociedade que Deus existe é o Johrei, a Agricultura Natural e o belo principalmente através da Flor! Vamos cada vez mais transformar essas três colunas em uma só,  no alicerce do nosso dia a dia, do nosso lar, da nossa família! Assim que Meishu-Sama vai poder nos utilizar para expandir para o maior número de pessoas possível!

Mais uma vez muito obrigado! Um Feliz mês de agosto para todos os senhores!

Muito obrigado a todos!

 

Disponível também em espanhol 👉Saludos del Presidente de la Iglesia Mesiánica Mundial de África

74 Views

Partilhar amor

Procura mais alguma coisa?

Relacionados:

Experiência de fé do dia
Reminiscência do dia
Ensinamento | Estudo Diário