Domingos Domingos – NJ Morro de Areia – Luanda

Chamo-me Domingos António Mateus Domingos e sou membro.

A experiência de fé que passo a relatar, está relacionada com a obediência nas orientações.

Em 2013, com a permissão de Deus e Meishu-Sama consegui o meu primeiro emprego. Com o passar do tempo, já não conseguia mais dedicar, embora a unidade ficasse a 50 ou a 100 metros de casa. Caí na ingratidão, esquecendo o que tinham feito por mim. Deixei de fazer os dízimos, quando recebia o salário só me preocupava com compras de casa e, quando o dinheiro acabasse, é que me lembrava do dízimo, prometendo fazer no próximo mês

O tempo foi passando e as minhas dívidas foram se acumulando.

No local de serviço comecei a ter conflitos e ainda para piorar o que já estava mal, contraí tuberculose, tendo que ser afastado e indemnizado, com receio de que eu morresse no local de trabalho, porque não estava nada bem.

Com o valor indemnizado, comecei a fazer tratamentos hospitalares, mas como não melhorava, decidi ir para o Dondo para tratamentos tradicionais.

Vendo minha situação crítica só piorando a cada dia, decidi livrar-me do meu Ohikari; fui à Igreja, coloquei-o num envelope e meti na urna, sem que ninguém se apercebesse. Depois disso, a purificação acelerou, comecei a tossir sangue, não conseguindo andar longas caminhadas. Os conflitos retornaram ao lar e deixei de falar com a minha mãe. Em casa não conseguia dormir, por causa das dores constantes.

Assim, comecei a passar as noites na rua parecendo um maluco, desprezado e abandonado pela família.

Certo dia, quando ia a caminho duma denominação religiosa que frequentava, deparei-me com um ministro da nossa Igreja que me disse: você só está nesse estado, porque não está a cumprir devidamente com a sua missão, não está a fazer o que os antepassados querem que faça. Ouvindo isso, voltei para a Igreja, pois já estava afastado há 2 anos. Depois de 2 meses de cumprimento das novas orientações do responsável, comecei a melhorar consideravelmente; deixei de tossir sangue, as dores passaram, passei a dormir bem, já faço longas caminhadas, estou de bem com a família e já falo com a minha mãe.

Como gratidão, materializei um donativo especial de pedido de perdão e passo a relatar algumas experiências de fé que vivenciei:

– Um frequentador que padecia com trombose há mais de 5 anos e não conseguia fazer nada sem ajuda, falando com dificuldade, após um mês de assistência com o Johrei, leitura dos ensinamentos e a flor, uma das vizinhas vendo a nossa postura, perguntou-nos de que religião nós eramos e disse o seguinte: eu acompanho esse pai há muito tempo, ele não falava bem e não reconhecia as pessoas, desde que vocês passaram a vir aqui e a fazerem oração, ele hoje reconhece as pessoas e tem falado um pouco que dá para se perceber o que diz, coisa que não acontecia faz tempo, por favor não parem o que estão a fazer, eu sou da pentecostal mas a vossa religião não é qualquer uma.

– Uma outra frequentadora, depois que ficou doente, a família ao aperceber-se da situação, abandonou-a durante muito tempo. Depois que começou a receber assistência com o Johrei, leitura dos ensinamentos de Meishu-Sama e a flor, a família reconheceu seu erro, acolheu-a e tem tido melhor acompanhamento.

Com esta experiência, pude compreender a grandiosidade da Divindade de Meishu-Sama. Ele sem dúvida é o Messias esperado pela humanidade e que tudo que nós passamos em nossas vidas, tem sempre uma causa ou um motivo espiritual!

O meu compromisso é de voltar a outorgar-me para melhor participar na salvação da humanidade!

Agradeço a Deus, ao Messias Meishu-Sama e aos meus Antepassados, pela permissão de conhecer este caminho da salvação!

Muito obrigado!

52 Views

Partilhar amor

Procura mais alguma coisa?

Relacionados:

Experiência de fé do dia
Ensinamento do dia
Reminiscência do dia
Ensinamento | Estudo Diário