Dorcas Tedica – NJ. Simindele – R. Norte – Cabinda

Chamo-me Dorcas Imbo Tedica, sou frequentadora e dedico como auxiliar do grupo terra.

Conheci a Igreja Messiânica Mundial de Angola em 2020, por intermédio do meu pai, membro da Igreja.

Os motivos que me levaram a conhecer a Igreja foram: febres constantes, paludismo, tensão arterial, infecção urinária, dores de dentes e durante a noite via vultos.

Para tentar solucionar esses problemas, percorremos hospitais e tratamentos tradicionais, onde os meus pais tiveram muitas despesas sem resultados satisfatórios. O meu pai preocupado, encaminhou-me à Igreja onde, com o cumprimento das práticas básicas, tudo foi ultrapassado.

A experiência de fé que passo a relatar, está relacionada com a flor e a proteção Divina.

No dia 27 de Janeiro do ano em curso, tive a permissão de participar de uma aula de Sanguetsu na unidade religiosa. Foi-nos ensinado a maneira de como confecionar o arranjo do Altar. Depois da aula, confecionei uma Ikebana com o objetivo de oferecê-la na escola. Pelo caminho, um senhor pediu-me a Ikebana e eu ofereci, ao que ele agradeceu. A outra flor de luz, coloquei na mochila e fui andando.

De regresso à casa, fui interpelado por dois jovens marginais que andavam numa motorizada. Parando a minha frente, um deles disse: se você gritar vais morrer! Receberam a minha mochila, onde dentro havia dois telemóveis, alguns valores, a flor e meteram-se em fuga. Depois do assalto, como minha irmã vive próximo do ocorrido, fui para lá. Meu cunhado, vendo-me aflita, acompanhou-me até à casa dos meus pais, explicando o que havia acontecido. Depois disso, meu pai deu queixa na polícia. A minha mãe, foi até à unidade agradecer a proteção que tive com um donativo. Depois de me sentir mais tranquila, também materializei o meu donativo e fui orientada a aumentar a minha gratidão no servir na Obra Divina.

No dia 10 de março passado, um de meus colegas foi a minha casa acompanhado de alguns policiais, dizendo que os marginais que me haviam assaltado, foram apanhados pela polícia e que andavam a minha procura para poder testemunhar.

Assim, subi na viatura da polícia e fomos até a esquadra. Quando lá chegamos, não consegui reconhecer ninguém, porque as caras deles estavam inflamadas por causa da surra que tinham levado por parte da população. Um deles olhou para mim e disse: “Menina, nós somos os meliantes que roubamos a tua mochila! A nossa intenção, era para te matar injetando uma seringa só que, no momento em que queríamos tirar a seringa do bolso, para injetar, a mesma desapareceu, coisa que nos deixou muito admirados; por isso, levamos apenas a mochila e vendemos o que estava dentro. A partir daí, a nossa vida tornou-se um inferno. Como vivemos muito perturbados, decidimos nos entregar na polícia. Ainda disse: A tua igreja é muito forte. Por isso, deves continuar neste caminho, porque você escapou!”

Ouvindo isso, fiquei assustada e comecei a agradecer do fundo do coração pela protecção que tive.

Depois daquela confissão, lembrei-me da flor que tinha colocado na mochila. A seguir, a polícia tomou nota da queixa, fazendo um documento para devolução dos meus pertences. Como passei quase o dia todo na esquadra, ofereceram-me um lanche e valor para comprar um saldo. Mais tarde, os polícias levaram-me para casa.

Com esses milagres, materializei um donativo especial pela graça que recebi naquele dia.

Aprendi que, quando somos úteis na Obra Divina, somos protegidos por Deus.

O meu compromisso, é de tornar-me membro para ministrar Johrei e levar esta luz de Meishu-Sama para outras pessoas. Comprometo-me também em aprofundar cada vez mais na coluna do belo.

Agradeço ao Supremo Deus, ao Messias Meishu-Sama e aos meus Antepassados, por conhecer este caminho da salvação.

Muito obrigada!

61 Views

Partilhar amor

Procura mais alguma coisa?

Relacionados:

Experiência de fé do dia
Ensinamento do dia
Reminiscência do dia
Ensinamento | Estudo Diário