Saudação do Presidente da Igreja Messiânica Mundial de África

Culto Mensal de Gratidão Maio de 2022

Palavras do Presidente da Igreja Messiânica Mundial de África

Reverendo Cláudio Cristiano Leal Pinheiro

01 de Maio de 2022

Bom dia a todos!

Parabéns pelo culto mensal do mês de Maio de 2022!

Gostaria de agradecer a todos, do fundo do coração, por todo o esforço que os senhores têm feito em prol da expansão da obra divina em Angola, em todo o nosso continente africano, na Rússia, em Cuba.

O esforço de cada um na expansão do Johrei e dos ensinamentos de Meishu-Sama.

Também quero desejar um feliz dia das mães pra todas as mães de África e do mundo inteiro. Nesse mês de maio dedicado às mães, nós precisamos relembrar, renovar nosso sentimento de gratidão às nossas mães e fazermos o melhor pra nos tornarmos seres humanos que nossas mães tenham orgulho de ter gerado, de ter criado, de ter feito esforço pra nos nascer, nos criar, nos educar, seres humanos preocupados com a felicidade do próximo e do mundo.

Parabéns às nossas mães que se encontram no mundo material, também às que já se encontram no mundo espiritual, nossa eterna gratidão.

Esse mês de Maio nós estamos na preparação final para o culto do paraíso terrestre, será no próximo dia 15 de Junho. Nós vamos realizar na nossa sede central no domingo anterior, dia 12 de Junho, e no dia 15 de Junho vamos realizar nos nossos centros de aprimoramento e Johrei Centers.

Vamos continuar nessa preparação através das nossas actividades de limpeza, da marcha de Johrei, de distribuição de flores, limpeza das casas para além das ruas.

A nível de Angola estamos fazendo uma dedicação semanal, todos os sábados, na sede central, de limpeza, dedicação, no solo sagrado de Cacuaco, no Pólo agrícola de Bom Jesus, no Pólo Agrícola dos Libongos. Pedimos que todas as unidades da África façam essa limpeza em volta das unidades, todos os sábados de manhã, em sintonia com a sede central de África. Essa limpeza é com o objectivo de limpar a atmosfera espiritual a partir das nossas unidades religiosas.

As redes de salvação podem fazer no bairro onde a rede está a funcionar. Se algum membro vive afastado, pode fazer na sua rua. Sempre pedindo a Meishu-Sama que ele faça a limpeza através de nós com o objectivo de que as pessoas que vivem naquele bairro possam ser mais felizes. Que essa actividade é essencial para a construção do paraíso terrestre.

Nós tivemos uma experiência de fé agora no mês de Abril, na República da Serra Leoa, na sua capital Freetown, no dia 14 de Abril, dia em que fizemos o culto de 12 anos de passagem para o Mundo Espiritual do nosso saudoso presidente Reverendo Francisco; os nossos irmãos na Serra Leoa fizeram a oração e estavam a fazer a limpeza na rua, e aí se assustaram quando chegaram alguns moradores daquela rua com pás, vassouras, sacos de lixo e disseram: “olha, nós não somos da vossa igreja, mas nós queremos participar da limpeza com vocês. Nós notamos que depois que vocês começaram essa limpeza, mudou muito aqui o ambiente da rua e do bairro. Aqui acontecia muito conflito, muito problema de alcoolismo, os jovens brigando, fumando o dia todo, usando drogas, música alta, parecia uma competição pra ver quem tinha a música mais alta , mas isso tudo, depois que vocês começaram a fazer a limpeza, parou. E nós vimos que não é uma coincidência, então nós estamos aqui e queremos participar.” E a partir daí, um dos vizinhos começou a frequentar assiduamente a nossa igreja também. Então, essa actividade da limpeza, na medida em que limpamos, vamos distribuindo flores, vamos fazendo horta nas casas dos vizinhos, vamos plantando árvores nos bairros, tudo isso são actividades ligadas a construção do paraíso terrestre. Através dessas actividades vamos limpando a atmosfera espiritual daquela rua, daquele bairro, daquele município, daquela província, daquele país, é como jogar uma pedra no lago e vão formando ondas.

Então, é importante a nossa consciência que limpando a sujeira material, estaremos limpando a atmosfera espiritual, está criando uma atmosfera que permite a construção do paraíso a partir daquele local. Com esse sentimento vamos continuar nossa actividade.

Recebi uma experiência muito marcante da República Democrática do Congo com um responsável de unidade. Ele começou com o núcleo e com o desenvolvimento da unidade, ele teve que alugar uma casa maior pra nossa actividade religiosa naquele bairro.

Então, quando ele se mudou pra casa, alguns vizinhos começaram a ver, essa igreja é de quê? É de magia? Feitiçaria?

Alguns começaram a frequentar. Veio uma frequentadora que o filho não andava, então ele orientou ela pra receber Johrei, experimentar, distribuir a flor, agradecer pela purificação, encaminhar pessoas. Mas uma amiga dessa frequentadora quis saber mais sobre a igreja, conversou com o responsável.

Ela (essa amiga da frequentadora) já estava fazendo propaganda de que nossa igreja era de magia, que era pra ninguém ir lá. Mas ela foi com a amiga, perguntou mais, o responsável explicou, mas ela continuou fazendo uma campanha bem forte de difamação da nossa igreja no bairro “essa igreja é de magia, é de feiticeiros, não deixem as vossas crianças chegarem perto de lá” e isso, incansavelmente, ela falava pra todo o mundo no bairro.

Mesmo assim algumas pessoas começaram a vir, outras tinham um pé atrás por causa da intensidade com que ela difamava a igreja, mas o responsável continuou agradecendo sempre. Sabia que isso era purificação para ele, para a obra divina e continuou com as actividades.

Aquela frequentadora que o filho tinha um problema, depois de 7 meses a criança, para o espanto de todos, começou a andar normalmente, ganhou verdadeira saude. E esse milagre da criança despertou o pai da criança e mais 20 pessoas que viram a cura da criança pra começarem a vir à igreja e a encaminhar outras pessoas também. Daí, aquela amiga que difamava um dia foi visitar essa frequentadora em casa e viu a criança andando, aí perguntou: “essa é outra criança, né? Não é aquela que não andava”

Ela respondeu: “não, esse aqui é o meu filho que não andava. Ele ficou curado na igreja messiânica”

– “Mas eles disseram a você pra fazer o quê? Você teve que oferecer alguém? Teve que fazer alguma coisa?”

– “Não, só tive que receber Johrei, distribuir flor, ler os ensinamentos, encaminhar pessoas e meu filho ficou curado”

Aí aquela vizinha que fazia propaganda negativa ficou impressionada e, naquele mesmo dia, quando eram 23h, ela foi bater a porta da igreja. Naquela noite o responsável tinha ficado na igreja, por algum motivo ele teve que ficar lá  pra dormir na igreja. Ele se assustou, mas abriu a porta.

Ela disse “olha, desculpa. Eu não consegui vir durante o dia e só pude vir neste horário” (não sei se ela foi naquele horário só pra ninguém ver, né? Do jeito que ela falou mal da igreja “risos”)

Mas ele falou: “tudo bem, pode entrar”

Aí ela falou “estive hoje na casa da minha amiga e eu vi que o filho dela ficou curado, ele começou a andar”

O responsável disse “sim, essa é a força do Johrei”

Ela perguntou “mas o Johrei consegue curar qualquer doença?”

Ele falou assim “olha, consegue. Depende da quantidade de toxinas que a pessoa tem, do que ela já fez de tratamento, mas o Johrei cura, todo o tipo de doenças já ouvimos relatos de cura através do Johrei. É só a pessoa experimentar.”

Ela falou assim “meu marido morreu há 6 anos atrás de SIDA/AIDS e eu também tenho AIDS. Será que o Johrei pode me curar?”

Ele falou “experimenta! Você não precisa acreditar. Comece a receber o Johrei todos os dias.”

Ela “o que mais eu tenho que fazer?”

Ele disse “comece a ler os ensinamentos, todos os dias encaminhe 15 pessoas na porta da igreja para receberem Johrei, convide 15 pessoas no mínimo e participe das actividades daqui. Vamos fazer a limpeza na sua casa e faça um donativo para agradecer pelo Johrei e pela sua purificação, porque isso é uma purificação também”

Ela falou “vou começar a fazer”

No dia seguinte ela começou a frequentar a igreja e a cumprir tudo o que ele orientou.

Quando ela começou a fazer isso, ela começou a receber Johrei, encaminhar, ela começou a ver mudança na vida das pessoas, e a própria saúde dela também começou a melhorar. Ela começou a ganhar peso, melhorar a aparência dela, a pele dela a ficar limpa, bonita, todo o mundo impressionado com a mudança física dela, e ela dizia “isso é o Johrei da Igreja Messiânica Mundial”.

Antes de ela começar a frequentar, o responsável pediu a ela pra fazer novos exames pra confirmar se ela tinha mesmo AIDS. Ela fez os exames e deu positivo. Aí ela guardou e continuou a frequentar.

Quando ela se sentiu bem, com a aparência normal, ganhou aparência saudável e tudo, ele falou “agora que você está se sentindo bem, faz novos exames”; isso após algumas semanas recebendo Johrei.

Ela fez exames em 3 clínicas diferentes e as 3 clínicas deram negativo pra AIDS. Isso impressionou as pessoas, ela começou a encaminhar mais gente, ela encaminhou 60 pessoas para a igreja. 5 tinham o mesmo problema que ela, essas pessoas também começaram a ter mudanças nas suas vidas, melhorar a saúde, progredir.

Depois de algum tempo, ela teve um sonho com o falecido marido, ele dizendo “olha, desde que eu morri, eu estava preso no hospital. Eu só fiquei curado agora que você está frequentando e dedicando na IMM, continue fazendo o que você está fazendo, e amanhã eu vou mandar um dinheiro pra você”.

Ela acordou, ficou impressionada. Naquele dia ela foi visitar alguém e quando ela voltou, encontrou uma pessoa que ofereceu uma quantia de dinheiro pra ela, inesperadamente. Aí ela conseguiu fazer o seu donativo para receber o Ohikari e hoje ela é o braço direito do responsável dessa unidade, é um exemplo de dedicação, de empenho e de felicidade.

Aí nós vemos o que eu tenho sempre falado para os senhores, como a cada dia a força do Johrei aumenta. Essa luz que nós canalizamos através do Johrei, que o Supremo Deus e o Messias Meishu-Sama canalizam através de nós quando nós juntamos as mãos e pedimos permissão para ministrar Johrei, a cada dia essa força fica maior, os milagres são maiores. Nós precisamos levar essa luz para o mundo.

Nós estamos nos preparando para o culto do paraíso e Meishu-Sama fala sobre a importância de conhecermos o princípio do Johrei e participarmos dos projectos de construção da cultura do dia, para tornarmos mais suáveis os efeitos dessa transição, do juízo final que estamos a viver agora. Por isso que hoje no culto mensal, nós ouvimos o ensinamento com o título “Sermão”, aqui Meishu-Sama fala: “Como é do conhecimento de todos, desde os tempos antigos, sem nenhuma excepção, as religiões sempre se basearam em mandamentos, transmitindo-os através de sermões.

Na igreja messiânica, quase não se utiliza esse recurso e os nossos membros sabem disso. Vou explicar isso levando em conta que algumas pessoas têm dúvidas a esse respeito e também, no caso de alguém perguntar aos membros, estes poderem dar os devidos esclarecimentos.

O objectivo da religião é fazer com que o ser humano se arrependa dos seus erros, se modifique e passe a praticar o bem, e para tal é necessário eliminar as nuvens espirituais da alma”

É importante quando Meishu-Sama fala aqui sobre o objectivo da religião, nós precisamos prestar muita atenção sempre que nos ensinamentos está a palavra objectivo pra nós refletirmos sobre o objectivo de cada coisa que Meishu-Sama nos ensina.

“O objectivo da religião é fazer com que o ser humano se arrependa dos seus erros, se modifique e passe a praticar o bem” Se arrepender dos erros, se modificar e passar a praticar o bem.

“(…) e para tal, é necessário eliminar as nuvens espirituais da alma. Quando está se torna pura, a pessoa deixa de praticar más acções, torna-se íntegra e passa a fazer o bem em prol do próximo e do mundo.

Os sermões são meios de purificar a alma através da audição, uma vez que os ensinamentos são ouvidos. Já a Bíblia, os sutras budistas, os ensinamentos da Oomoto e de várias religiões, evidentemente, são meios de purificação através da visão e do espírito da palavra.

Nossa religião também se utiliza desses meios, mas os considera secundários, tendo o johrei como o seu principal meio de purificação.” Aqui mostra a diferença da nossa religião, ela também se utiliza de sermões, palestras, explicações, mas tem o Johrei como o seu principal meio de purificação das nuvens espirituais que escondem a nossa alma, que impedem que a gente se arrependa, se modifique e pratique o bem.

O principal da religião messiânica para essa transformação do indivíduo, é a luz do Johrei.

“Isso porque os métodos de purificação realizados por meios dos 5 sentidos, são indirectos e naturalmente seus efeitos são limitados, já que se visa atingir algo invisível como alma, através de meios materiais.

O Johrei da nossa religião projecta a luz espiritual directamente na alma, purificando-a, e seu efeito, portanto, nem se compara ao dos métodos materiais. Isso também pode ser visto no que se refere as doenças (como falei agora dessa cura do SIDA/AIDS), mesmo aquelas que não são curadas através de diversos tratamentos, são debeladas com facilidade e em curto espaço de tempo. Assim sendo, como venho sempre dizendo, não somos uma religião, mas sim uma ultrarreligião.”

Então hoje eu queria reflectir com os senhores: “até que ponto eu, como messiânico, como ministrante do Johrei, estou ministrando Johrei com esse sonen de eliminar as nuvens espirituais para que alma da pessoa desperte?”

Muitas vezes nós estamos com um conflito em casa, entre o casal, com os filhos, com os pais, e às vezes queremos resolver os conflitos no grito, falando, dando bafo. Será que eu, como messiânico, estou colocando o Johrei em primeiro lugar para purificar as nuvens que estão impedindo a alma daquela pessoa com quem tenho o conflito de expandir e a pessoa conseguir praticar o bem e ser feliz?

Muitas vezes não estamos colocando o Johrei no seu devido lugar, ministrando de vez em quando, só quando alguém está mal. Não faz parte do nosso dia a dia, não é algo que nós temos como meio para a construção do paraíso terrestre.

Nós não podemos mais praticar um Johrei que só quer resolver problemas. Claro que os problemas precisam ser resolvidos, isso é óbvio, Meishu-Sama fala bem claro sobre isso. Mas nós precisamos ter um objectivo maior que é despertar a alma das pessoas para que possam realmente participar da construção do paraíso terrestre. Não é mais aquela fé que visa resolver problemas, mas uma fé que tem como objectivo participar da construção do paraíso terrestre, participar da salvação da humanidade, colocando a felicidade do próximo e do mundo em primeiro lugar.

E Meishu-Sama aqui no ensinamento ele fala “religião em japonês significa ensinamento do fundador e tem por princípio salvar as pessoas através do ensinamento, todavia, em nossa religião, conforme já afirmei os ensinamentos são considerados segundo ou terceiro recursos, pois transformamos as pessoas em indivíduos do bem por meio do Johrei. Com ele obtemos 100% de eficácia, poupando tempo e trabalho.”

Meishu-Sama está falando “transformamos as pessoas em indivíduos do bem por meio do Johrei” nós que ministramos Johrei não podemos achar que basta resolver o problema, precisamos ter o objectivo da pessoa despertar a alma e se re-ligar realmente com O Supremo Deus através da gratidão, através do servir, da prática do bem. Nós precisamos aprofundar o nosso sonen em relação ao que é o Johrei para mim. Mesmo quando eu pedir Johrei também, eu posso estar com algum problema físico, financeiro, conflito, mas eu também saber que a causa de tudo são as nuvens no meu espírito, então pedir o Johrei com o objectivo de limpar essas nuvens pra que a minha alma possa cumprir a missão de acordo com a vontade do Supremo Deus e do Messias Meishu-Sama.

Essa força do Johrei aumenta a cada dia, a cada hora, a cada minuto, a cada segundo. Mas ao mesmo tempo, o nosso sonen em relação ao Johrei precisa evoluir. Não podemos usar ele como método só pra resolver nossos problemas, precisamos usar o Johrei como método de criar felicidade, despertando as pessoas para elas praticarem o bem, se comprometerem com felicidade do próximo, com a construção de um mundo melhor, com a construção do paraíso terrestre.

Então vamos reflectir sobre isso com base neste ensinamento do mês para nós nos prepararmos neste mês, ministrando mais Johrei ainda em casa, na família, na igreja na rua, dando assistência religiosa, ministrando mais pessoas que não conhecem, os de primeira vez, dando assistência pra quem já conhece. Vamos nos aprofundar cada vez mais nessa preparação através da canalização da Luz do Supremo Deus.

Essa Luz do Johrei, junto com o estudo e prática dos ensinamentos de Meishu-Sama é que são o alicerce para o paraíso terrestre, são o caminho para a transformação do nosso planeta e para a concretização do paraíso aqui na face da terra.

Falando em concretização do paraíso, eu estive agora em Abril fazendo a visita missionária a São Tomé e Príncipe, depois de mais de 2 anos sem ir lá no país, e fiquei emocionado ao entrar na nossa sede central. Ia sempre recebendo relatórios, fotos, mas ver com os próprios olhos é outra coisa, né? A beleza que a sede central está desenvolvendo em São Tomé, a beleza também da nossa nave, vocês já tiveram a oportunidade de ver através de fotos, vídeos que estão sendo veiculados nas redes sociais.

Fruto de muito esforço dos fiéis junto com os ministros, responsáveis, missionários, todos com o objectivo de construir o primeiro protótipo no país que é a sede central e fruto de muito esforço dedicando com as próprias mãos, do donativo de gratidão, porque no meio dessa crise toda gerada pela pandemia, nós estarmos desenvolvendo construções já é um grande milagre que nós estamos tendo.

A gente vê a força de Meishu-Sama nessa concretização, desenvolvimento das obras e nos milagres que estão sendo gerados na vida de quem está participando dessa construção, porque a partir do momento em que nós estamos ali colocando parte de nossa vida, através do tempo, dedicando com as próprias mãos, através do donativo, nós estamos ligando nossas linhagens com esse local de maior luz que está servindo e vai servir para a salvação de milhares de pessoas. Então isso tudo se reflecte em luz e isso transforma o nosso destino.

Também durante essa estadia em São Tomé, tivemos a permissão de inaugurar 2 Johrei centers no país. Agora, além da sede central, do centro de aprimoramento, nós temos 6 Johrei centers no país. E no Johrei center da Trindade, um dos que foi inaugurado, foi relatada essa experiência de fé muito marcante que eu queria compartilhar com os senhores:

“Chamo me Lalá Neto Afonso, sou membro desta instituição religiosa, tenho 39 anos de idade e resido na localidade de Cruzeiro – Trindade, distrito de Mé-Zóchi.

A Experiência de fé que venho compartilhar com os irmãos tem a ver com acidente do meu filho e o meu despertar para fazer o donativo especial para construção da Sede Central de S. Tomé e Príncipe.

O meu filho de 21 anos de idade, sofreu um grave acidente de viação quando regressava de uma festa tendo sofrido várias fracturas e queimaduras graves. Penso que só não morreu, porque a mão de Meishu-Sama esteve presente.

No hospital foi atendido pela equipa médica de serviço, que dada a gravidade da situação, pensaram não ter solução. No entanto, depois de uma pesquisa mais apurada sobre o seu quadro clínico optou-se por uma intervenção cirúrgica e consultaram o consentimento família. No impasse da família se aceitava ou não a operação, um dos tios do meu filho disse: se há necessidade de opera-lo, faça, seja lá o que Deus quiser. Graças a Deus e ao Messias Meishu-Sama correu tudo bem e assim ele ficou hospitalizado durante 5 meses.

O período de internamento hospitalar do meu filho levou-me a fazer do hospital o meu cantinho do dia-a-dia, para cuidar dele. Não foi fácil como mãe acompanhar o sofrimento do filho com choro de dia e de noite, pelas várias fracturas, queimaduras graves e um braço paralisado por conta do acidente. Do fundo do meu coração não desejo isso para ninguém neste mundo.

Os meus sobrinhos vendo o meu calvário, decidiram dividir o peso dessa cruz comigo e pediram-me para fazer um mapa de escala em que cada um dos escalados, iriam dormir no hospital para apoiar o primo acidentado. E passaram a cumprir pacientemente esse compromisso.

Foram momentos de muita tensão e preocupação e também de graças inesperadas que considero teste do Messias.

A dada altura, desesperada, fui a foto do Messias em minha casa, orei e olhando bem no fundo dos Seus olhos, pus-me a perguntar: “Meishu-Sama, porquê que o meu filho está a passar por esse sofrimento? Será que a minha dedicação não está sendo suficiente para minimizar o seu sofrimento? Como mãe é doloroso ver um filho nesse estado, sem que tenha uma luz no fundo do túnel para ele.”

Essas perguntas que ecoaram do fundo da minha alma, levaram-me a sentir mais aliviada para o sono da noite. 

Minutos depois de entrar no sono profundo, me vi numa festa onde haviam pessoas a festejar com júbilo e alegria. O que me deixou perplexa e indignada, foi ver o avó do meu filho que já se encontra no mundo espiritual nessa festa, considerando que o seu neto estava no hospital num estado de sofrimento.

Ao dirigir-me a ele, ele me disse: “você está a reclamar da situação do seu filho? Ele fez muita gente sofrer, são 31 pessoas. Graças a tua dedicação sincera na obra do Messias Meishu-Sama, 20 dessas pessoas se elevaram e estamos a festejar, mas faltam ainda 11 pessoas para a dívida ser saldada, é só continuar com a dedicação que tudo dará certo.

Acordei assustada e após agradecer, fiquei aliviada. 

(Meishu-Sama tem um ensinamento que ele fala sobre as dívidas espirituais, todos nós temos. Essas dívidas espirituais que nós contraímos durante a era noite. Movidos pelo egoísmo, pelo materialismo, criamos sofrimento para o próximo e pra o mundo, destruímos vidas, famílias e, alguns de nós destruímos nações e essas dívidas se reflectem no sofrimento nas nossas vidas. Através da dedicação em prol da construção do paraíso terrestre, no servir sincero, essas dívidas são saldadas).

 Numa entrevista, relatei o sonho ao meu superior e fiz o donativo especial de pedido de perdão, direccionado a construção nossa sede central.

Também passei a cuidar das pessoas no hospital, ministrando Johrei, distribuindo flores e servindo materialmente a cada um deles (começou a aprofundar, para além da dor do filho, noutras pessoas internadas e seus familiares).

Certo dia, duas pessoas do nada me deram uma quantia em dinheiro. Sem saber o porquê não coloquei esse montante na bolsa e, como estava a ir em direcção à nossa Unidade, nasceu em mim a vontade de depositar toda essa quantia na urna. As irmãs de fé que estavam presentes ao saber da minha decisão com relação ao donativo que ia fazer, a situação do meu filho que estava hospitalizado e também da situação financeira que me era exigida, aconselharam-me a fazer parte do dinheiro e deixar a outra para custear as despesas com deslocações à hospital e outros afazeres. Apenas respondi: Preciso agradecer ao Messias Meishu-Sama pela purificação do meu filho. E assim materializei o referido donativo com muita gratidão.

Fui ao hospital e subindo as escadas do Bloco, por incrível que pareça, apanhei uma quantia em dinheiro que serviu para cobrir despesas do dia. E também, passei a ter apoio financeiro que me custava acreditar que era verdade. Pois, os medicamentos outros remédios que não haviam no país, chegavam a mim a custo zero.

Outro facto relevante, é que, enquanto eu estava ocupada com a situação do menino, a minha filha de 13 anos tomou as rédeas dos meus negócios com tanto zelo que chamou a atenção dos clientes e vizinhos em geral. E também apresentou-me um valor em dinheiro, com a loja bem abastecida. Fiquei admirada e muito feliz com esta prestação que não esperava dela. Acredito ter sido actuação do Messias Meishu-Sama. 

Foi a meio dessas purificações e graças, que certo dia, eu e a irmã Adelaika Teixeira, depois de assistirmos um culto mensal de gratidão, de regresso a casa, mas ainda no recinto da Sede, começamos a falar sobre o donativo de construção direccionado. Subitamente ela, parecendo pessoa incorporada, me perguntou: Abecy, você faz donativo de construção? Respondi: “Faço!”. E ela continuou: “Mas eu já fiz aquele donativo que dói!”.

Por vários dias, fui perguntando a mim mesma: “Como fazer o tal donativo que dói?”. É com essas reflexões que lembrei que venho participando em vários quixiquílas, mas ainda não tinha desapegado no total de um deles. Foi aí que decidi fazer o donativo que dói com o de maior valor. Tomando esta decisão, começou a manifestar-se o sentimento de dúvida: “Tudo isso?” E fui vivendo esse contraste dentro de mim até quando o valor me chegou as mãos e para a minha surpresa, o sentimento de fazer falou mais alto e acabei por materializar o donativo que dói para construção da Sede Central de São Tomé e Príncipe.

Depois de fazer este donativo, senti-me tão feliz e leve como alguém que tirou um grande peso do corpo. Esse estado de espírito vem continuando a fazer parte do meu dia-a-dia contribuindo para passar a encarar tudo com naturalidade e gratidão.

É de realçar que depois de fazer esse donativo, fui agraciada com oferta de um jogo de Sofá de valor significativamente superior.

Dezoito membros da família viajaram para o exterior, uns para continuar os seus estudos a nível superior e outros em busca de melhores condições de vida.

A situação do meu filho está a evoluir satisfatoriamente. Nesse espaço de purificação, não imaginava esse desfecho. Não é possível decifrar todas as graças e as transformações.

Aprendi que Meishu-Sama e o Messias Salvador esperado pela humanidade. É só acreditar Nele que tudo dá certo.

O meu compromisso é de me esforçar na campanha de encaminhamento de novos membros para juntar-se a nós na formação do elemento humano que tanto necessitamos para a grande construção e a grande salvação.

Quero agradecer aos fiéis da Trindade e de todas as unidades que me apoiaram ao longo da purificação do meu filho. Em particular os da unidade de Almeirim.

À todos que pacientemente me escutaram o meu muito obrigada!

Lala Neto Afonso”

Então essa experiência da nossa irmã, está mostrando pra gente a importância de ser útil a Deus na construção do paraíso terrestre, através do donativo de gratidão feito com sinceridade.

Nós estamos nos preparando agora para o culto do paraíso. Vamos nos preparar ministrando Johrei, convidando pessoas, preparando o nosso donativo especial para o culto do paraíso.

Vamos nos preparar a altura para a partir desse culto do paraíso entrarmos nesse novo ciclo.

Sabemos que Meishu-Sama fala bem claro que à partir do dia 04 de fevereiro, o mundo espiritual vibra no sentido de eliminar as máculas acumuladas durante a era da noite. Essa eliminação vai até 15 de junho, a partir dessa de 15 de junho é liberada a Luz para a construção do paraíso.

Então nós estamos nos preparando para entrar nesse novo ciclo do ano.

Vamos fazer essa reflexão com base nas experiências, no ensinamento que ouvimos hoje e juntos prepararmos bem África e o nosso planeta para esse culto do paraíso terrestre de 2022.

Muito obrigado!

Feliz mês de maio para todos os senhores junto com os vossos familiares.

Boa missão pra todos!

Muito obrigado do fundo do coração!

97 Views

Partilhar amor

Procura mais alguma coisa?

Relacionados:

Experiência de fé do dia
Reminiscência do dia
Ensinamento | Estudo Diário