Saudação do Presidente da Igreja Messiânica Mundial de África – Agosto 2022

Culto Mensal de Gratidão Alusivo à Farta Colheita da Agricultura Natural Messiânica

7 de Agosto de 2022 – Sede Central de África – Futungo de Belas – Luanda – Angola

Saudação do Presidente da Igreja Messiânica Mundial de África

Reverendo Claudio Cristiano Leal Pinheiro

Bom dia a todos!

Os senhores estão a passar bem?

Parabéns pelo Culto Mensal Alusivo à Coluna da Agricultura Natural Messiânica!

Gostaria de agradecer, do fundo do coração, pela presença dos senhores e pelo esforço sincero que cada um tem feito em prol da expansão da Obra do Messias Meishu-Sama aqui em Angola e por todo o nosso querido continente Africano!

Em particular, pelo esforço de todos na expansão da agricultura e da alimentação natural que é uma das colunas de salvação da humanidade e Construção do Paraíso Terrestre.

Os senhores gostaram das experiências de fé? Mais uma salva de palmas para os nossos dois irmãos, por favor! Duas experiências muito emocionantes e profundas para nós estudarmos, refletirmos e tomarmos como exemplo para as nossas vidas.

A primeira experiência que nós ouvimos, do senhor Camilo, é uma experiência marcante, pois ele, na altura dos seus 75 anos de idade, nos deu um grande exemplo de vida, de humildade esinceridade com Deus e Meishu-Sama! Não é fácil um mais velho abrir o coração como el

e abriu para gente! Quando refletimos sobre a experiência dele, que tem idade para ser pai e avô de muitos de nós, ele nos deu um exemplo sobre o que Meishu-Sama fala sobre sinceridade, Makoto, entrega verdadeira! Quando ele fez a sua reflexão, primeiro com Deus e Meishu-Sama no início desse ano, ele refletiu: ” Tenho 14 anos de membro, mas, eu não tenho compromisso com Meishu-Sama, não tenho nenhum plantão na unidade, não estou a cuidar de pessoas como poderia, faço donativo de vez em quando e ainda tenho dúvidas sobre quem é Meishu-Sama!”.

Quando fala de reflexão profunda, é nós conseguirmos olhar para dentro de nós como ele fez e sermos sinceros com Deus porque muitas vezes o que impede o nosso crescimento são as mentiras que nós falamos para nós mesmos! A pior mentira é aquela que você fala e você próprio acredita! Parece coisa de maluco, mas, é o que acontece muito! Você acredita na mentira que fala para você mesmo. E aí ele conseguiu olhar para dentro de si, isso é um exemplo do que é se analisar de forma objetiva! “Puxa, eu não faço isso!” e ter a humildade de buscar orientação com seu responsável reconhecendo já o que ele próprio não praticava. É natural ter dúvidas como ele disse, sobre Meishu-Sama e Jesus! Quem vem de uma educação, de uma formação cristã, muçulmana ou de outra religião a vida toda é natural. “Mas, será que Meishu-Sama é verdadeiro?”. Isso porque muitos de nós aprendemos que só Jesus é que salva. Não é assim que a gente aprende nas igrejas? Tanto que o próprio Meishu-Sama, uma vez conversando com um   jornalista, ele começou a fazer perguntas sobre a Igreja Messiânica e Meishu-Sama falou para ele: “Eu vim para salvar o mundo! Eu sou o Messias!”.

E aí o jornalista perguntou: “Mas, como é que vai ser quando vocês chegarem onde tem os cristãos, para explicar isso que o senhor é que é o Salvador do mundo?”

Meishu-Sama começou a rir e falou assim: “Os cristãos vão pensar que eu sou um anticristo, não é?” (Risos)

Jornalista: “É, eu não queria falar directamente assim, mas vão falar que é um anticristo, que é falso!”.

Meishu-Sama disse: “Não precisa se preocupar! Quem vai trazer os cristãos para a Igreja Messiânica é o próprio Jesus Cristo! E no tempo certo, eles vão entender qual é a minha missão!”. Então, Meishu-Sama estava tranquilo com relação a isso.

E com o tempo, fazendo difusão, eu cheguei a uma conclusão também que: quem é verdadeiramente cristão e tem afinidade com Meishu-Sama, Jesus vai conseguir trazer para Meishu-Sama e vai se tornar ministrante de Johrei, a mesma coisa com os muçulmanos e demais seguidores das outras religiões!

Essa tomada de decisão, esse compromisso sincero que ele fez é que protegeu ele do AVC que ele teve. Ele já estava para ter o AVC, já tinha as toxinas para ter aquela situação. Mas, por ter renovado o seu compromisso como ele fez, teve protecção para ultrapassar a purificação. Depois, até fez a sua reflexão com a ministra e em seguida, eliminou bastante sujeira, ganhou mais saúde ainda e está cumprindo sua missão, participando na Construção do Paraíso e na Salvação da humanidade.

Eu acho que a experiência dele é um grande exemplo para todos nós refletirmos: “Qual o meu compromisso com Deus e Meishu-Sama?”. Não é o que as pessoas acham que eu faço, é o que está no meu coração com Deus e Meishu-Sama. Isso é o que me liga com Deu. Quando a gente fala de se entregar a Deus, é entregar do fundo do nosso coração como ele fez, com sinceridade, com honestidade!” Meishu-Sama, eu não estou conseguindo fazer isso, me dê força, me dê permissão para me corrigir e ter força para cumprir a minha missão.

Eu acho que essa postura que ele nos deu exemplo hoje é o alicerce para tudo que nós fazemos na Obra Divina, na nossa parte profissional, na nossa família e na sociedade! Tudo que não tem Makoto, a sinceridade verdadeira como raiz, não vai conseguir existir daqui para frente aqui na face da terra! O aumento do elemento fogo, conforme os senhores ouviram no ensinamento do mês, nós falamos de transição da noite para o dia, o aumento do elemento fogo afecta todos os aspetos da vida humana. O que não estiver enraizado com o Supremo Deus, enraizado nas leis da grande natureza, não vai conseguir sobreviver nesse novo ciclo que o nosso planeta entrou! Por isso o ensinamento falou bem claro sobre o aumento das pragas na agricultura devido ao uso de adubo e fertilizante que suja a terra, suja as plantas e aí a natureza manda aquelas pragas para poderem comer aquela sujeira.

Durante a era da noite, que não tinha muita força do elemento fogo, conseguia se fazer agricultura usando esses produtos artificiais, mas, agora com a força do elemento fogo, a força da natureza é outra, o ciclo que o planeta entrou é outro, totalmente diferente! Isso nós vemos em todos aspetos da vida humana.

Por isso que a segunda experiência, do irmão Francisco, também é muito marcante quando ele fala do despertar dele para fazer a difusão no seio dos praticantes da Agricultura, dos camponeses no município, do facto de ele reconhecer e aprender com o trabalho deles. Quando tive contato com essa experiência pela primeira vez, lembrei de quando Meishu-Sama começou a aprofundar na questão da agricultura. Meishu-Sama viu o sofrimento dos camponeses do Japão na época que, mesmo fazendo um trabalho tão importante de produzir alimentos para a sociedade, viviam de forma precária, com muito sofrimento, miséria e fome! Aquilo doeu muito no coração de Meishu-Sama e quando falamos de construir o Paraíso Terrestre, precisa ir na base da nossa sociedade que é a agricultura. Até começarmos a praticar agricultura, milhares de anos atrás, nós éramos nômadas. Portanto, para podemos construir a verdadeira civilização, os métodos de cultivo e nossos hábitos alimentares precisam estar de acordo com a Grande natureza. Quando nós consumimos esses produtos da agricultura natural, nós plantamos sementes de saúde no nosso corpo e no nosso espírito e aí conseguimos cumprir a nossa missão. Por isso, é muito importante e gostaria que não ficasse apenas no dia de hoje, do culto alusivo à agricultura!

Vamos buscar colocar essa prática no nosso dia-a-dia com a nossa família. Refletir sobre o que nós consumimos no dia-a-dia, o que nós ingerimos. Muitas vezes a pessoa tá vindo para igreja dedica, ministra Johrei, faz donativo, tá cuidando de pessoas, tem um plantão, mas, continua com certas doenças, certos conflitos em casa que não mudam.  Mas, se está dedicando, fazendo tudo, por que a saúde dessa pessoa não melhora? Nesse momento, você precisa também ver que já conhece o Johrei, você conhece Meishu-Sama, porém, o que você e sua família comem todos os dias? Quais os vossos hábitos alimentares? Você tem procurado desenvolver uma alimentação mais saudável? Porque de acordo com que nós ingerimos, afecta diretamente o nosso próprio comportamento! A ciência já chegou a essa conclusão quando viu que o nosso segundo cérebro é o nosso intestino. De acordo com o que nós comemos, nós alimentamos microrganismos benéficos ou maléficos! Quanto mais nós comemos alimentos naturais, minimamente processados, diretamente da natureza, mais aumentam os organismos positivos que produzem hormonas positivas para nós termos saúde! Quanto mais nós comemos alimentos com produtos químicos, conservantes e ultra-processados, mais nós alimentamos microrganismos negativos que geram doença no nosso corpo! Por isso que é tão importante a preocupação com que nós ingerimos diariamente, pois tem relação direta com adquirirmos verdadeira saúde e com a Construção do Paraíso Terrestre!

De acordo com certos alimentos que nós damos para os nossos filhos, que tem certos produtos químicos, o comportamento dos nossos filhos se altera! Aquele alimento funciona como se fosse uma droga! Por isso que nós precisamos nos preocupar com que estamos a ingerir no dia-a-dia, o que estamos a dar para os nossos filhos! Aí é que entra a importância do nosso esforço em praticarmos uma alimentação natural, em fazermos a nossa horta e despertarmos o maior número de pessoas para também ter a sua horta caseira. Nós estamos na fase de preparação do culto dos antepassados e recebemos a tarefa no culto do Paraíso para acompanharmos, pelo menos, um frequentador preparando ele para participar do culto connosco. Na semana passada, no Culto Nacional de jovens, foi pedido aos jovens para, junto com os fiéis de cada unidade religiosa da África, até o culto dos antepassados montar, pelo menos, uma horta comunitária modelo no bairro onde está a unidade religiosa para que desta horta possam sair alimentos para a pessoas mais carentes do bairro para instituições do bairro. Posso contar com os senhores nessa dedicação? Sim ou não? Vamos levar essa prática altruísta para a sociedade para que a partir dessas hortas comunitárias, os vizinhos do bairro possam ver que é possível praticarmos um método agrícola que gera saúde, que preserva o meio ambiente e vai mudar o ambiente dos lares que os consumirem.

Nós, como fiéis da religião Messiânica, não podemos nunca esquecer porquê que Meishu-Sama salvou as nossas vidas! Para que cada um de nós possa fazer diferença na vida das outras pessoas também. Quando nós praticamos uma fé que só está centralizada no nosso bem-estar e da nossa família, aquela fé passa a ser uma fé egoísta! Sempre precisamos estar preocupados em fazer as outras pessoas felizes.

Tem uma experiência que eu queria passar para os senhores que aconteceu aqui na província do Cunene e achei muito significativa. É de uma missionária.

«Chamo-me Ana Maria Fernanda, sou missionária e dedico como encarregada de Liturgia.

Conheci a Igreja Messiânica em 2007, por intermédio de uma senhora membro da Igreja.

Os motivos que estiveram na base do meu encaminhamento foram: a doença de um dos meus filhos, a morte do outro, conflitos familiares e pobreza.

Ou seja, o que trouxe ela para a igreja: doença, pobreza e conflitos.

Em busca de soluções, fiz tratamentos médicos e passei por três 3 casas de Quimbandas, tendo pago 70. 000.00kz, que na época eram mais ou menos 700 USD, um boi e bebidas alcoólicas, mas sem melhorias.

Passei a odiar a minha família paterna, culpando-a do meu sofrimento e afastei-me do meu pai durante 4 anos. Sofri intensamente durante 6 anos.

Na igreja, fui recebida pelo plantonista que, após ouvir-me atentamente, orientou-me as Práticas Básicas da Fé Messiânica.

Cumpri com as orientações durante duas semanas e os sofrimentos que me afligiam foram ultrapassados. Sofrimentos de 6 anos, ultrapassou com duas semanas de prática.

Em gesto de gratidão, materializei o meu ingresso na fé e para melhor servir na Obra Divina, em dezembro de 2007 me tornei membro da igreja.

A experiência de fé que tenho a relatar, está relacionada com a obediência no cumprimento das orientações e a prática da horta caseira.

Em 2012, perdi o emprego e assim passei por uma fase de muitas purificações financeiras durante um período de 10 anos. Mesmo como membro, estava com essa purificação financeira durante os últimos dez anos da vida dela.

Na tentativa de ultrapassar a situação, tentei várias vezes emprego através de concursos públicos, porém, sem sucesso. Também procurei fazer comércio, não deu certo e tudo caminhava para o pior.

Eu não conseguia cultuar os meus Antepassados, e durante toda essa purificação, meu esposo também mudou o seu comportamento. Ele próprio passou a fazer todas as compras de casa, até o saldo para o meu telefone carregava diretamente, evitando colocar dinheiro nas minhas mãos.

Achei estranho o que estava a acontece. Fiz uma reflexão e decidi buscar orientações, relatando tudo que estava a passar no meu orientador. Assim, ele disse-me que tudo aquilo eram sinais de pedidos de socorro dos meus antepassados e para melhorar, eu deveria praticar continuamente virtudes ocultas em prol da felicidade das outras pessoas.

Quer dizer, você está sofrendo, você é membro, o que você está fazendo em prol da felicidade do próximo? Como você está cumprindo a sua missão?

Decidi colocar as orientações em prática. Comecei a aprofundar nos desafios matinais e na ministração do Johrei, mentalizando várias pessoas que estavam a sofrer com algum mal, com o desejo de vê-las se tornarem felizes.

Após pouco tempo, tive um sinal do Mundo Espiritual: a minha filha enviou-me um valor em dinheiro, do qual materializei uma parte fazendo donativo de gratidão. Ganhei a permissão de peregrinar ao Pólo Agrícola do Peu-Peu, na província do Cunene, onde aprimorei no cultivo na prática da agricultura Natural durante 7 dias.

Ou seja, com a mudança de Sonen, o primeiro sinal que ela teve foi inesperadamente receber um valor em dinheiro da filha e ganhou permissão para ir dedicar no Pólo Agrícola.

Ganhei forças e regressei para casa, renovei a minha horta caseira tornando-a uma horta modelo onde plantei couve, tomate e milho.  À medida que os produtos iam crescendo, várias vizinhas começaram a se aproximar pedindo produtos e a solicitar-me para ajudá-las a montar hortas em suas casas.

Quando a gente vê um sinal de que nós estamos agindo com Makoto, é quando a gente começa a praticar algum ensinamento de Meishu-Sama e nós temos a permissão de atrair as pessoas! Os senhores observem, ela não chamou as vizinhas para mostrar, as vizinhas começaram a ver, foram até ela, pediram produtos e pediram para ela ensinar-lhes a fazer nas suas casas. Isso daí já é um sinal de que Meishu-Sama está conseguindo actuar através de nós!

Quando falamos sobre a fé messiânica, muitas vezes eu encontro pessoas que dizem: ” Reverendo, eu tento encaminhar pessoas, mas, não consigo!” Primeira pessoa que eu preciso encaminhar, sou eu mesmo! Se eu quero encaminhar e não consigo, eu preciso fazer uma reflexão sobre como é que eu estou a praticar a fé messiânica. Eu estou a praticar a agricultura? Eu pratico o Johrei? Eu leio os ensinamentos? 

A fé messiânica é regida pelo elemento fogo, pelo sol, pelo Supremo Deus! O nosso trabalho não é forçar as pessoas a virem, não é fazer promessa para trazer as pessoas: “Eu vou dar comida para as pessoas virem se reunir aqui na minha igreja!”. Isso não é trabalho de fé Messiânica! A nossa fé é de atração! Você atrai de acordo com o que está dentro de você! No que você aprofunda numa prática Messiânica, seja do Johrei, da flor, da limpeza, da agricultura, numa prática centralizada no Supremo Deus e no Messias Meishu-Sama, gera a força de atração das pessoas que têm afinidade connosco, para nós podermos encaminhar para participar da Obra Divina! Foi isso que começou a acontecer com a irmã Ana.

Aí, ela disse:

Diante dessa oportunidade tive a permissão de montar 7 hortas modelos na minha vizinhança e 4 hortas nas casas dos fiéis, das quais duas casas de membros e duas casas de frequentadores, no total já montei 11 hortas modelos. De uma horta que havia na casa dela, já viraram 12!

Com essa prática, vivenciei as seguintes mudanças:

Ofereci mudas de couve à uma vizinha que procurava sempre entrar em conflitos comigo. Fiz isso com o intuito de abrir uma horta em sua casa. Graças a Deus, depois de montar a horta, nossa relação mudou e hoje somos amigas.

O meu esposo mudou de comportamento, sente-se mais alegre e passou a dar-me mais atenção. Pela primeira vez, convidou-me para lhe acompanhar em uma cerimónia no seu local de trabalho.

As mudanças não pararam por aí. O meu esposo fez depósitos de valores monetários na minha conta para mim, para os nossos filhos e ainda fez para a minha mãe que está a purificar na província da Huíla, algo que antes não acontecia. Agora, nem parece aquela pessoa que me dizia palavras tão duras. Quando sai de casa, sempre deixa alguns valores para as despesas do lar e não consigo conter a minha gratidão. Por todas essas graças recebidas, materializei uma gratidão especial e estou a me empenhar na expansão da rede da salvação.

Aprendi que o segredo da nossa felicidade está na busca da vontade de Meishu-Sama e a prática dos seus ensinamentos em prol da felicidade das outras pessoas!

O meu compromisso é de continuar a aprofundar na felicidade do próximo!

Então, nós temos essa experiência muito marcante, mostrando para nós porquê que muitas vezes a nossa vida para de evoluir! Isso ocorre porque nós não estamos preocupados em levar o Johrei, a flor, a agricultura para os lares das outras pessoas, em fazer as outras pessoas felizes, formando lares de luz! À medida que eu vou plantando essa semente de saúde, prosperidade, paz, nas casas de outras pessoas, naturalmente isso brota na minha vida e da minha família também! Isso é lei de causa e efeito, e nós todos precisamos aprofundar nessa e nas outras leis da natureza conforme está nos ensinamentos do Messias Meishu-Sama!

Depois, por favor, procurem visitar as exposições de produtos da agricultura que estão dentro da nossa Sede Central!

logo em seguida, vamos ter a cerimónia da oração de elevação dos antepassados, e depois da oração dos antepassados, vai ter a cerimónia de outorga da luz divina Ohikari. Já vamos voltar, a partir de hoje, também a ter as outorgas de Shoko, a medalha de proteção para as crianças com menos de 10 anos de idade. Os miúdos sempre vinham me cobrar: “Reverendo, quando é que vai vir o meu Shoko?”. Agora já tem o Shoko para as crianças receberem e começarem a ministrar Johrei em casa junto com a gente. É importante que essas cerimónias vão começar a ser todos os meses, nos cultos mensais. Vamos criar um objectivo, cada um de nós de conseguirmos todo o mês, cada um durante o ano estar outorgando novos membros, acompanhando pessoas, vendo essas pessoas que vão recebendo o Ohikari e passar a participar da Construção do Paraíso Terrestre junto connosco, participando da salvação da humanidade! Mais uma vez, muito obrigado!

Feliz mês de Agosto para todos os senhores!

Muito obrigado a todos!

Versão em PDF ↓

 

81 Views

Partilhar amor

Procura mais alguma coisa?

Relacionados:

Experiência de fé do dia
Reminiscência do dia
Ensinamento | Estudo Diário