Velinda Rufino – NJ Morro de Areia – Região Centro Sul

Chamo-me Velinda João Rufino, sou membro e dedico como auxiliar da Agricultura Natural.

Conheci a Igreja Messiânica Mundial de Angola em 2005, por intermédio de uma missionária.

Os Motivos que me levaram a conhecer a fé Messiânica foram: doenças, conflitos e dificuldades financeiras.

Quanto à doença, a cada ano, perdia 1 filho com paludismo que durava somente 3 dias, totalizando 5 filhos. Essa situação gerava conflitos entre as duas famílias, minha e a do meu marido, que diziam ser eu a causadora desses problemas, querendo, portanto, a nossa separação. O meu marido passado algum tempo, deixou de dormir e de sustentar a casa, meus negócios também não davam certo. Foi quando certa noite, sonhei com a minha mãe que mostrou-me a Igreja Messiânica e disse-me para eu voltar a frequentar, pois que era ali onde estava a salvação, uma vez que eu já conhecia e deixei de frequentar.

Na unidade, fui recebida pelo plantonista que me ouviu e orientou as práticas básicas que eu já conhecia. Em menos de um mês, cumprindo as orientações, o quadro da minha vida mudou por completo. A saúde se restabeleceu, meu marido começou a apoiar a casa, deixando de dormir fora como fazia. Minhas irmãs que há muito não me apoiavam, passaram a fazê-lo, permitindo que eu começasse a fazer um negócio. Sempre eu ia fazendo os meus donativos corretamente.

Em Agosto, viajei para a Província do Kwanza-Sul, comuna da Gabela  com as minhas irmãs. Ao regressar, recebi a informação de que tinham entrado em minha casa e levado a minha botija de gaz. Meu cunhado como tinha duas, emprestou-me uma para eu me ir arranjando, até conseguir comprar uma outra.

No mês de Novembro, ganhei a permissão de uma visita religiosa em casa, com limpeza profunda, onde também fez-se a horta caseira. Nessa altura, minha mãe que se encontra no mundo espiritual incorporou, dizendo que era preciso tornar-me membro já, ao que perguntaram como eu iria ser outorgada sem o donativo, se eu nem sequer trabalhava? Ao que ela respondeu que não me preocupasse, pois ela já tinha mandado alguém para fazer chegar o dinheiro.

Já no dia 19 de Dezembro de 2021, depois do culto do natalício de Meishu-Sama, ao chegar à casa, encontrei um recado do meu cunhado, dizendo que no serviço dele tinha uma vaga. No dia seguinte fomos até lá, onde comecei a trabalhar nesse mesmo dia.

Depois de alguns dias, meu cunhado pediu que lhe devolvesse a botija que me havia emprestado. No dia seguinte, cheguei ao serviço muito triste. A minha patroa preocupada com o meu estado, perguntou-me o que se passava. Depois de lhe contar o sucedido, disse que não me preocupasse, pois que ela tinha cinco botijas e que quando estivesse a ir para casa que eu levasse uma. Fiquei muito agradecida e ao mesmo tempo aliviada.

Como gratidão, materializei um donativo especial pelas graças recebidas de Deus e Meishu-Sama.

Aprendi que, Meishu-Sama é realmente o Messias esperado pela humanidade.

Por permissão de Deus e Meishu-Sama, faço a minha gratidão corretamente, tenho a horta caseira, sou cadastrada, cuido de algumas casas de frequentadores, onde vivi a experiência de uma frequentadora que estava a purificar com paludismo e dor de estômago durante duas semanas; mesmo fazendo análises e medicação, o problema continuava. Depois que lhe ofereci uma flor de luz e recebeu assistência religiosa, no dia seguinte se restabeleceu consideravelmente. Assim, decidiu começar a frequentar a igreja.

Agradeço ao Supremo Deus, ao Messias Meishu-Sama e aos meus Antepassados, pela permissão de conhecer este maravilhoso caminho da salvação.

Muito obrigada!

98 Views

Partilhar amor

Procura mais alguma coisa?

Relacionados:

Experiência de fé do dia
Ensinamento do dia
Reminiscência do dia
Ensinamento | Estudo Diário