Balbina Licuante – NJ Zona Verde – Área Jardim – Moçambique

Sou frequentadora e dedico no Núcleo de Johrei da Zona Verde, e fui encaminhada pelas minhas filhas, também frequentadoras da igreja.

Os motivos que me levaram a conhecer a igreja foram de curiosidade, apesar de, na altura, também sofrer com conflitos conjugais, falta de paz espiritual, dificuldades financeiras e doença do meu esposo.

Certo dia, as minhas filhas de 11 anos de idade, passaram em frente à igreja e foram oferecidas a flor de luz e convidadas a entrar para receber Johrei. Elas aceitaram e quando chegaram à casa, o pai perguntou-lhes onde haviam encontrado as flores que traziam. Elas responderam que receberam em uma igreja. O pai ficou muito admirado com esta atitude da igreja, porque as minhas filhas são catadoras de latas e encontravam-se muito sujas e achava que na igreja não entrava pessoas sujas.

No domingo, as minhas filhas voltaram para a igreja, assistiram o culto dominical e gostaram muito. Como o pai encontrava-se doente, com fortes dores do estômago há 2 semana, elas pediram que alguém fosse à nossa casa para ministrar Johrei ao meu esposo. Assim sendo, a missionária pediu o contacto do meu esposo para dar assistência religiosa.

Chegada à minha casa, fizeram oração, vivência da flor e marcha de Johrei durante 1 hora, graças ao qual, o meu esposo no mesmo dia melhorou por completo. Feliz com o resultado, ele ligou para a missionária para agradecê-la e sem hesitar, a esta convidou-o a participar do culto dominical, após o qual, foi atendido pela Ministra, que o ouviu atentamente e orientou-o a receber pelo menos 10 Johrei diariamente e a fazer as práticas básicas da fé, fazermos o desafio de oração das 6 até as 7 horas da manhã, como preparação para culto do paraíso terrestre. Ele participou pela primeira vez do desafio e no período da tarde, o antigo chefe que não o ligava há mais de 3 anos, ligou-o e pediu que ele se apresentasse à empresa, para começar a trabalhar.

Vendo esta situação, fiquei muito feliz e nasceu em mim a vontade de frequentar a igreja. Assim o fiz e orientada pela Ministra, dei início às práticas básicas da fé.

Em 2018, tive um filho deficiente, com os membros inferiores completos, mas sem ossos. Fiquei muito triste porque tinham

decidido amputar os membros inferiores do meu filho. Nesta altura, recorri aos hospitais para ter uma resposta melhor, mas sem sucesso porque eu estava desempregada e onde eu fosse cobravam dinheiro.

Dois meses depois, voltei ao hospital com o meu filho, onde foi amputado os membros inferiores. Recorri aos outros hospitais para poder colocar uma prótese, mas como encontrava-me desempregada e desprovida de meios financeiros, não pude custear as despesas necessárias.

Sendo assim, comecei a dedicar diariamente junto com o grupo Terra, marchando de casa em casa e fiz da minha dedicação, o meu emprego. Com a prática do agradecimento à Meishu-Sama, ganhei a permissão de ter um valor com o qual dei início o meu negócio, após fazer um donativo especial de gratidão pela graça recebida. Após agradecer, o meu vizinho pediu-me para passar a cuidar do filho dele e disse que iria me remunerar por isso. Estou muito feliz, pois agora tenho um emprego.

Após a visita da missionária em minha casa, onde foi feita a oração, marcha de Johrei e vivência da flor, uma jovem viu o meu filho deficiente, aproximou-se para prestar ajuda e pediu-me para tirar fotos ao meu filho, porque ela conhecia uma associação que podia ajudar a criança. Aceitei e dei o meu contacto à jovem.

No dia seguinte, recebi uma ligação da Associação que doou uma cadeira de rodas e ainda ofereceram assistência com roupas e prótese para o meu filho poder andar, graças à Deus e ao Meishu-Sama. O meu filho e as minhas filhas estão muito felizes pois elas ficavam muito cansadas porque tinham que o carregar, hoje com a cadeira de rodas tudo se tornou mais fácil.

Hoje, as minhas filhas já não são catadoras de lata, andam limpas e ajudam no meu negócio. Como gratidão, fiz o meu donativo de gratidão e actualmente, estou a preparar-me para tornar-me membro para melhor servir a Obra Divina.

Com esta experiência de fé, aprendi que Meishu-Sama é o Salvador da Humanidade e que de facto, não deixa ninguém desamparado.

Agradeço à Deus e ao Messias Meishu-Sama pela permissão de conhecer este caminho da salvação, junto com os meus Antepassados.

Muito obrigada!

 

Disponível também em INGLÊS

77 Views

Partilhar amor

Procura mais alguma coisa?

Relacionados:

Experiência de fé do dia
Reminiscência do dia
Ensinamento | Estudo Diário