Aprendi a não julgar as pessoas pela aparência ou pelas atitudes, pois estas situações surgem para o nosso crescimento espiritual e mudança interior.

Chamo-me Filomena Jandjula Kaita, sou membro e dedico como encarregada do Sorei-Saishi.

Conheci a Igreja Messiânica Mundial, em Fevereiro de 2007, por intermédio de uma missionária.

Os motivos que me levaram a conhecer a Igreja foram: doenças e dificuldades financeiras.

Durante 11 anos, padeci com problemas de dores no peito, que não me permitia fazer qualquer trabalho pesado, nem mesmo um balde de dez litros de água conseguia levar. Fiz vários tratamentos hospitalares em consultas, análises e radiografias diversas vezes, mas os resultados eram sempre negativos, gastando muito dinheiro, sem obter o resultado desejado.

A determinada altura, começaram a surgir outros sintomas, que me deixavam abalada e sem esperança de viver, pois comecei a perceber que a qualquer momento iria morrer. Para piorar o meu sofrimento, o meu segundo filho contraiu pneumonia. Por outro lado, o nariz do menino ficou tão entupido, que nem muco escoava, ficando com dificuldades para respirar, durante cinco meses. Fizemos de tudo para superar esses problemas, mas o seu quadro clínico não melhorava. Em função disso, como os médicos não encontravam solução para o problema, mandaram-nos de volta para casa, com receitas para serem cumpridas.

Como já não tínhamos recursos para a compra dos medicamentos, decidimos parar com tais tratamentos, visto que também a doença não passava, pelo contrário, só piorava. Esgotados com esta situação, apenas dependíamos de um milagre de Deus!

Foi quando certa vez, apareceu em minha casa, um grupo de membros da Igreja Messiânica que realizavam uma jornada religiosa no meu bairro. Deste modo, convidaram-me a receber oração pelo que aceitei. Devo realçar que os mesmos ficaram com as mãos levantadas durante 2 horas; depois de eles terem saído, senti uma alegria enorme e naquela noite consegui dormir bem, coisa que antes não acontecia.

Foi assim que, fui encaminhada à Igreja, onde recebida pelo plantonista, cumpri com as orientações básicas; um mês depois, os problemas da minha doença e do meu filho passaram por completo. Eu que não conseguia levar coisas pesadas, a partir de então passei a fazê-lo com naturalidade.

Para agradecer, materializei um donativo especial e tornei-me membro para melhor servir na obra divina.

A Experiência de fé que passo a relatar, está relacionada com as práticas básicas da fé messiânica:

Depois de me tornar membro, não tinha conhecimento sobre a necessidade de fazer o Sorei-Saishi das minhas raízes, visto que para mim era só preencher o formulário e cultuar. Assim, quando o meu esposo faleceu, fui orientada a fazer os cultos de 50 dias e depois o Sorei-Saishi para o seu assentamento nos Solos Sagrados. Deste modo, cumpri com as orientações sem vacilar e tudo corria normalmente. Seis meses depois, recebi o comunicado da minha família a partir do Lubango que meu pai havia falecido. Assim, antes de seguir viajem para o Lubango, comuniquei ao responsável que, junto da unidade deram-me muito apoio. Por outro lado, fui orientada para de igual modo, fazer os cultos de 50 dias de falecimento e depois o Sorei-Saishi que havia feito ao meu falecido marido. Depois do enterro do pai, voltei para Luanda e não me preocupei em fazer os cultos, isto é, fiquei relaxada, pensando que como já havia feito do marido, não era necessário fazer para o pai. Tempos depois, comecei a purificar fortemente e não entendia o motivo de tal situação; fazia tratamentos hospitalares, mas a situação não melhorava! Certa ocasião, tive a permissão de participar de um encontro dos encarregados da Área do Sorei-Saishi na Sede Central onde, a encarregada deste sector perguntou-me se já havia feito o Sorei-Saishi das minhas linhagens! Como ainda não havia feito, ela orientou-me no sentido de corrigir aquela situação, explicando sobre a importância de cuidar com muita gratidão os nossos Ancestrais e Antepassados que estão no Mundo Espiritual. Depois de uma semana, fiz também das quatros linhagens em conjunto com os espíritos dos meus pais.

Ainda na semana a seguir, o meu irmão apareceu em casa, pediu os meus documentos e levou. Como o meu bilhete estava caducado, levou-me à identificação, onde com urgência tratou de um novo bilhete. Assim, colocou-me a trabalhar, mesmo com a idade avançada que tenho, porque naquela empresa não são aceites pessoas com mais de 50 anos de idade. Agradeci do fundo do coração, pois havia 6 anos que não conseguia emprego devido à idade.

Por outro lado, quando recebi o salário, fiz um donativo especial. Contudo, depois de materializar este donativo, a empresa chamou-me e disse que eu apenas iria trabalhar duas vezes por semana, ficando a meu critério quais os dias, sem afectar o meu salário. Fiquei bastante admirada, e comecei a pensar: “Deus, o Messias Meishu-Sama e os meus Antepassados, criaram todas as condições necessárias para eu dedicar sem vacilar nesta obra da salvação da humanidade. Isso só pode ser milagre”! Hoje, trabalho dois dias na semana e o restante dos dias aprofundo no servir, participando de todas as actividades da nave: marcha de Johrei, distribuição de flores, assistência nos lares etc. Também o dirigente da empresa, passou a fazer compras de bens alimentares para a minha casa.

No final de 2022, uma sobrinha minha teve uma crise repentina e de imediato levamo-la ao hospital, onde ficou internada nos cuidados intensivos durante um mês sem obter melhorias. Como os médicos não conseguiam encontrar nada, dizendo que a qualquer altura poderia morrer, mandaram-nos para casa, no sentido de se fazer outros tratamentos.

Foi assim que levei-a para minha casa a fim de começar com a assistência religiosa. Assim que chegamos, os meus filhos entraram em pânico, devido ao estado dela e os vizinhos diziam que eu não estava boa da cabeça, porque havia trazido para minha casa uma pessoa que já estava meio morta. Devo realçar que não foi fácil lidar com aquela situação, visto que tinha momentos em que ela perdia a respiração e o corpo ficava gelado. A unidade diariamente enviava grupos de membros que faziam assistência religiosa em minha casa.

Com uma semana de recebimento de Johrei e donativo diário de gratidão, ela começou a recuperar, deixou de usar fraldas e depois de duas semanas, começou a sentar-se; depois as mãos começaram a mover, situação que deixou a família e os vizinhos admirados e comentavam o seguinte: “a Igreja Messiânica é bastante forte! Como é possível a doente recuperar facilmente com essa mão levantada? Esta é a verdadeira Igreja para ser seguida, porque a nossa filha estava na beira da morte e graças a Deus foi curada”.

Depois de ela ter ficado totalmente melhor, decidimos levá-la para o Lubango, nossa terra natal. Quando chegamos, ela começou a chorar tanto e dizia apontando para mim: esta é a minha mãe que me salvou! Esta é a minha mãe que me salvou…. Todo mundo veio me ver; a mãe dela e o pai vieram também e diziam: viemos a saber que você é quem salvou a nossa filha que estava na beira da morte, por isso, você vai fazer orações para todos nesta aldeia… Agradeci do fundo do coração e para minha supressa, começaram a trazer-me pessoas doentes para ministrar Johrei. Deste modo, mais de 20 pessoas doentes receberam Johrei e ficaram curadas. Passo a relatar alguns casos:

– Um casal que estava mergulhado no alcoolismo durante anos, depois de 5 dias de recebimento de Johrei, diminuíram o consumo de álcool, a fisionomia mudou e os dois que não trabalhavam, conseguiram empregos no campo.

– Uma senhora depois de receber Johrei, sentiu que em seu corpo saíam muitos espíritos, tendo depois, sentido o corpo muito leve.

– Uma menina, estava fortemente doente com febres altas, com dores por todo o corpo, com fraqueza e disenteria durante um mês. Com três dias de recebimento de Johrei, recuperou totalmente e hoje encontra-se bem de saúde.

– Uma sobrinha minha, estava há três meses com problemas de loucura; fazia tanta confusão em casa, a ponto de os familiares terem de acorrentá-la.

Foram estas e tantas outras ocorrências vivenciadas neste local e deste modo agradeci com um donativo de gratidão.

Aprendi a não julgar as pessoas pela aparência ou pelas atitudes, pois estas situações surgem para o nosso crescimento espiritual e mudança interior.

Agradeço a Deus, ao Messias Meishu-Sama e aos meus Antepassados, pela oportunidade de conhecer este caminho da salvação.

Muito obrigada!

116 Views

Partilhar amor

Procura mais alguma coisa?

Relacionados:

Experiência de fé do dia
Reminiscência do dia
Ensinamento | Estudo Diário