“…é importante ser obediente às orientações…”

Zeferina Muindo| Membro – Auxiliar da Agricultura Natural| Núcleo de Johrei Jacinto Tchipa | Região Centro Sul

Conheci a Igreja Messiânica Mundial de Angola, em 2010, por intermédio de uma missionária.

Os motivos que me levaram a conhecer a Igreja, foram: doença, pobreza e conflitos.

Quanto à doença, as minhas filhas estavam constantemente com febres, sendo necessário por diversas vezes receberem transfusão de sangue. Para solucionar este problema, recorremos a vários hospitais fazendo muitos tratamentos, mas sem resultados satisfatórios, pois os médicos não conseguiam diagnosticar o que realmente elas tinham. No entanto, neste período, acabei perdendo quatro filhas. Consequentemente, deprimida, passei a ter várias crises de desmaio. Assim, passamos a enfrentar várias dificuldades financeiras, ao extremo de muitas vezes ficar sem nada para dar de comer aos meus filhos. Como se não bastasse, passei a ter muitos desentendimentos com o meu esposo e com os familiares em geral, alegando que não se conseguia entender a causa de tanto sofrimento.

Foi assim que cheguei até à Igreja, onde fui atendida pelo plantonista e orientada; com o cumprimento dessas orientações, em pouco tempo tudo foi ultrapassado.

Em 2018, meu esposo começou a implicar-se muito com o meu ingresso na fé messiânica, pois alegava que não ia de acordo com os seus princípios. No entanto, pensando que iria melhorar o meu relacionamento, me afastei da igreja, seguindo o marido na sua religião. Como consequência, o mesmo retirou o retrato de Meishu-Sama, a imagem de Kannon e o meu Ohikari, levando nessa igreja, onde tudo foi queimado.

Após essa terrível situação, os problemas na minha vida se intensificaram; o meu segundo filho que era membro, começou a ter problemas mentais ao ponto de desaparecer de casa, passando a comer no lixo. Para agravar ainda mais a situação, o meu marido saiu de casa, passou a adoecer muito, originando a sua morte.

Entretanto, a minha vida tornou-se num inferno. Foi assim que, no mês de maio de 2022 retornei à igreja, com grandes dificuldades, acompanhada da loucura do meu filho e a pobreza. Na igreja, fui recebida e acolhida pelos irmãos, onde após ser ouvida, fui levada ao altar, pedi perdão e reassumi o meu compromisso.

Por conseguinte, retomei a minha tarefa na dedicação de implementação de hortas caseiras.

Depois de 3 dias, o meu filho começou a ter melhorias, os constantes desmaios e a convulsão passaram, deixando de comer no lixo. De forma a ajudar na subsistência da família, ele começou a apanhar ferros e bidons para pesar, que lhe permitiu de também agradecer com um donativo.

Fruto do meu empenho, eu e a minha filha conseguimos um emprego e estamos a trabalhar na mesma empresa. Minha terceira filha, despertou e tem feito o dízimo. Ganhei a permissão de fazer o donativo de abertura da reoutorga e a minha quarta filha também despertou e vai ser outorgada.

Aprendi que é importante ser obediente às orientações.

O meu compromisso é de participar na construção do Solo Sagrado de Cacuaco, através das hortas caseiras e me reoutorgar ainda este ano.

Agradeço ao Supremo Deus, ao Messias Meishu-Sama e aos meus Antepassados, pela permissão de conhecer este caminho da salvação.

Muito obrigada!

 

 

 

 

 

115 Views

Partilhar amor

Procura mais alguma coisa?

Relacionados:

Experiência de fé do dia
Ensinamento do dia
Reminiscência do dia
Ensinamento | Estudo Diário