O Que é a Verdadeira Salvação – Palestra – 2ª Parte

(…) Falemos das maravilhosas descobertas. Entre elas, há aquelas que são utilizadas para o mal ao invés de serem empregadas para o bem. Por exemplo, a bomba atómica pode matar vinte milhões de pessoas de uma só vez. Já a energia correspondente à porção do tamanho da ponta de um dedo, se fosse utilizada para o bem, faria funcionar trens ou automóveis por muitos dias. Mesmo o avião, se for utilizado como meio de transporte, não existe nada mais rápido e útil; porém, se usado para lançar bombas, não há máquina mais temível.

Esta é a cultura científica que progrediu até hoje. Contudo, falta algo muito importante e, devido a isso, tende-se a fazer mau uso das coisas. Este é o sofrimento da humanidade. O ponto fundamental para que as coisas sejam utilizadas para o bem, é a alma. Transformando o mal em bem, tudo será utilizado em prol deste e, assim, um mundo maravilhoso se estabelecerá. Jesus Cristo referiu-se a esse mundo com a expressão: “É chegado o Reino dos Céus.” Buda Sakyamuni, por sua vez, afirmou: “Após a Destruição da Lei Búdica, aparecerá Miroku Bossatsu, e surgirá o Mundo de Miroku.” Só que ele afirmou que isso ocorreria após 5,67 bilhões de anos. Acredito, entretanto, que ele quis apenas referir-se aos números 5,6 e 7. Se realmente estivesse profetizando algo para daqui a 5,67 bilhões de anos, ele não estaria em seu juízo perfeito, pois não faz nenhum sentido prever algo para um futuro tão distante. Nessa época, a humanidade já teria passado por uma mudança tão grande que nem seria possível imaginar. Os messiânicos conhecem bem o significado dos números 5-6-7(1). Caso eu fosse explicá-lo, isso me tomaria bastante tempo e eu não poderia falar sobre o assunto principal.

Com relação à profecia de Jesus Cristo, eu penso que, ao invés de dizer: “É chegado o Reino dos Céus”, ele poderia ter dito: “Vou construir o Reino dos Céus.” Naquela época, contudo, o mundo ainda não havia alcançado o estágio necessário para isso, ou seja, o progresso da cultura ainda era insuficiente para a construção do verdadeiro mundo civilizado. Portanto, não havia como ser diferente.

No entanto, a cultura material progrediu, chegando ao nível em que se encontra atualmente; o progresso foi tal, que se estendeu ao mundo todo. O que eu estou dizendo pode ser ouvido através dos modernos meios de comunicação, nos quatro cantos do mundo. Os transportes se desenvolveram tanto, que é possível ir de avião até os Estados Unidos em apenas um dia. Dessa forma, o progresso da cultura material já atingiu o ponto em que estão preenchidas quase todas as condições necessárias ao mundo civilizado. Entretanto, para que algo seja utilizado para o bem, a alma é fundamental, apesar de ela ainda não ter atingido esse ponto. Então, é necessário que a humanidade cultive esse tipo de alma e, para tanto, é preciso que ela seja alertada. Com tal intuito, escrevo o tempo todo a esse respeito, e os fiéis frequentemente têm lido.

A propósito, há cerca de seis meses, comecei a escrever um livro intitulado “A Criação da Civilização”. Meu objetivo com essa publicação é esclarecer que a civilização atual não é a verdadeira civilização e, abordando vários temas como medicina, política, educação, arte e outros, vou mostrar o que é o verdadeiro mundo civilizado. A parte que se refere à medicina já está quase pronta, mas tenciono escrever, ainda este ano, sobre as outras áreas. Quando o livro estiver concluído, pretendo traduzi-lo para o inglês e tomar providências para que ele seja lido por professores universitários, cientistas, enfim, por intelectuais do mundo inteiro. Vou enviá-lo também ao comité do Prémio Nobel, o qual, acredito, no início, não o receberá bem, pois o comité é constituído por grandes especialistas formados pela cultura materialista. Todavia, como se trata de um livro que aborda justamente aquilo que importantes estudiosos estão buscando, acredito que os integrantes da comissão não deixarão de entendê-lo e exclamar: “É isso mesmo!” Assim, poderiam conceder-me dez ou vinte Prémios Nobel. Portanto, quando o livro for publicado, eu gostaria que todos os japoneses também o lessem.

Dessa forma, paralelamente a esse trabalho, temos o Johrei, por meio do qual as doenças se curam a contento. Entretanto, ele não cura apenas as doenças: ele cura o mal da alma. Em termos mais claros, ele retira o mal, que é a natureza animalesca, ou seja, a maneira de pensar se transforma. Isto é, dissolve-se a parte má e aumenta-se a parte boa. Dessa forma, todas as pessoas passam a praticar o bem, sentem a necessidade de fazer o bem. (…)

Palestra de Meishu-Sama no Hibiya Public Hall,

Tóquio 22 de Maio de 1951

(1) Segundo Meishu-Sama, os algarismos 5, 6 e 7 simbolizam, respectivamente, os elementos fogo, água e terra, e sua combinação representa a atuação de Miroku Bossatsu.

161 Views

Partilhar amor

Procura mais alguma coisa?

Relacionados:

Experiência de fé do dia
Ensinamento do dia
Reminiscência do dia
Ensinamento | Estudo Diário