“… devemos aprofundar muito nos ensinamentos de Meishu-Sama…”

Clementina Lungassa | Região Luanda-Leste- Centro de Aprimoramento do Dundo

📍 Província da Lunda- Norte

🇦🇴ANGOLA

Sou membro e dedico no Grupo Lua.

Conheci a Igreja Messiânica em 2008, por intermédio da minha falecida avó, que durante um sonho e devido ao sofrimento que eu vivia, disse-me para procurar a Igreja das flores.

Após o cumprimento das práticas básicas orientadas, tudo foi ultrapassado.  

A experiência de fé que passo a relatar, está relacionada com a mudança do sonen e o donativo de gratidão.

Quando estava grávida da minha segunda filha, passados alguns meses, comecei a ter dores de barriga, coluna, colo aberto, vômitos e fraquezas pelo corpo todo. Essa situação durou até eu dar à luz. Já na terceira gravidez, no primeiro mês, voltei a ter os mesmos sintomas; com medo de passar pela mesma situação, nasceu em mim o sentimento de interromper a gravidez sem o consentimento do meu esposo. Fiz tudo às escondidas, ouvindo as minhas amigas que me aconselharam a tomar medicamentos caseiros, sem resultado algum. Depois tentei medicamentos medicinais durante alguns dias, também sem sucesso. Foi aí que comecei a ter muita hemorragia, tendo as dores se intensificado; com o medo de morrer, contei ao meu esposo o que eu havia feito, tendo ele me aconselhado a ir ter com o responsável que me ouviu e orientou-me a fazer um donativo de pedido de perdão a Deus, ao Messias Meishu-Sama e aos meus Antepassados. Depois da oração, fui orientada a consultar um médico.

No hospital depois da ecografia, verificou-se de que o bebé estava bem. Fui seguindo as consultas, recebia Johrei, até que chegou o momento de dar à luz.

Na sala de observação, fui informada de que daria a luz dentro de 20 minutos. O tempo passou e o bebé nada de nascer; os médicos preocupados, mandaram que me levassem para o bloco operatório em uma cadeira de rodas. Ao longo da caminhada, comecei a clamar por Meishu-Sama, pedindo que Ele me ajudasse; no mesmo instante, dei a luz na cadeira de rodas, sem nem chegar ao bloco operatório. Os médicos assustados, queriam saber quem era o Meishu-Sama que eu clamava, tendo eu respondido que é o Messias e fundador da Igreja Messiânica; eles incentivaram-me a continuar nesta Igreja e no dia seguinte, recebi alta, indo para casa com o meu bebé.

Depois de três meses, fui à Igreja para agradecer a protecção que tivemos. Hoje, ele está com 2 anos de idade e é uma criança bastante saudável.    

Para agradecer, materializei um donativo especial de gratidão.

Com essa experiência, aprendi que, devemos aprofundar muito nos ensinamentos de Meishu-Sama para não cometermos erros graves que depois têm a sua consequência.

Agradeço ao Supremo Deus, ao Messias Meishu-Sama e aos meus Antepassados, pela permissão de conhecer este maravilhoso caminho da salvação.

Muito obrigada!

Clementina Lungassa

 

83 Views

Partilhar amor

Procura mais alguma coisa?

Relacionados:

Experiência de fé do dia
Reminiscência do dia
Ensinamento | Estudo Diário