“… Meishu-Sama é o Messias que veio para tirar toda a humanidade do sofrimento…”

🙎🏿‍♀️Esperança Luís Francisco | Região

Centro Sul- Centro de Aprimoramento do Zango

📍 Província de Luanda

🇦🇴ANGOLA

Sou membro e dedico como auxiliar do Grupo Terra.

Conheci a Igreja Messiânica em 2012, por intermédio da minha mãe, que é membro.

Os motivos que estiveram na base do meu encaminhamento, foram doenças.

Certo dia, estava na escola prestes a realizar as provas de exame, do nada comecei a passar mal com muita dor de bexiga e por esse motivo, fui para casa. Depois tive de ser levada para o hospital onde, depois dos exames fui diagnosticada febre tifoide e infecção urinária, ficando internada por uma semana. Fui transferida para um outro hospital, onde também com o mesmo diagnóstico, fiquei internada por uma semana. Recebi alta, no sentido de continuar com a medicação em casa. Mesmo assim, as dores não passavam, tendo novamente voltado a um outro hospital.

Porém, no banco de urgência ao ser atendida e observada, picaram-me com uma agulha no abdómen onde começou a sair pus com mau cheiro, sendo logo levada para o bloco operatório. Depois da operação, fui transferida para uma outra sala, onde horas depois, despertei já com sondas, deixando os meus familiares bastante preocupados.

No terceiro dia recebi alta e fui para casa com a ajuda de uma bengala.

No primeiro dia do curativo, fomos a um hospital próximo de casa. Os enfermeiros ao verem a gravidade da ferida puseram-se em fuga, só um conseguiu fazer o curativo e disse-me que a ferida estava infetada e que deveria voltar ao hospital onde fui operada.

Regressamos ao hospital e atendidos pela médica que me operou, ficou espantada com o estado da ferida, passando uma nova medicação.

Na altura, os meus pais sendo membros da Igreja, eu não acreditava nem aceitava receber Johrei e dizia que não gostava que me levantassem as mãos, dizendo: “ esse Meishu-Sama veio aqui para vos mentir, não ficou no Japão porquê? Por acaso o pai dele já está salvo?”

Já em casa, os meus pais aproveitaram o momento em que eu estava dormir e começaram a ministrar-me Johrei; quando despertei, ao aperceber-me que me estavam a ministrar, peguei na minha bengala e fui sentar-me no quintal. Horas depois, as dores aceleraram e comecei a vomitar coisas verdes. Passados três dias, as dores de bexiga também se intensificaram e minha mãe muito aborrecida, disse: “eu não vou mais ao hospital, estou cansada, você quem sabe se vais me seguir na Igreja ou não”. Aí, surgiu em mim o sentimento de pena e resolvi acompanha-la à igreja.

Contudo, já na unidade religiosa, fui recebida pelo plantonista que ouviu-me atentamente e orientou-me as práticas básicas, bem como a materializar um donativo de gratidão pela purificação. Dessa forma, as irmãs à minha volta, começaram a ministrar-me Johrei.

Foi com muitas dificuldades que consegui cumprir com as orientações recebidas, devido ao meu estado de saúde; em menos de um mês, a purificação que levou muito tempo, passou consideravelmente. Como gratidão, dois meses depois tornei-me membro.

  • A experiência de fé que passo a relatar, está relacionada com a importância da oração.

Em 2015, deixei de frequentar a Igreja, mas não retirei o Ohikari do pescoço. Já em 2018, estando no óbito do meu tio, eu saí de lá a purificar; um outro tio aconselhou a minha mãe a levar-me a uma curandeira, mas como ela não aceitou fiquei aborrecida, dizendo que ela estava feliz de me ver naquele estado. Foi assim que, eu e a minha mãe fomos à casa da tal curandeira. No local, encontramos uma coberta na banheira com água que parecia estar aí há muitos dias; a curandeira disse-nos o seguinte: ainda bem que vieram, estava mesmo a vossa espera, lavem essa coberta; no final pediu-nos 2.000 kz e com essa nota, ela começou a passar na minha testa, da direita para esquerda e da esquerda para direita. Na tentativa de voltar a passar novamente, o dinheiro travava e ela dizia à minha mãe o seguinte: os anjos querem-me fazer dormir… e a minha mãe assustada perguntou-lhe: o que significa isso? E a curandeira respondeu: significa que ela vai morrer, porque tem Sida e tem que se tirar o bicho com urgência. Realçar que fiquei internada nesse local durante um mês, não tomava banho e só lavava o rosto por ordem da curandeira.

Dias depois, a curandeira recebeu uma outra jovem que tinha problemas para conceber, dizendo-lhe que também tinha Sida e que por isso, não conseguia alcançar.

No dia da operação tradicional, ao observar-me para retirar os tais bichos, ficou espantada ao notar que eu não tinha nenhum bicho; em seguida, saiu para fora a correr. Disse para a minha mãe o seguinte: a sua filha está mal, os demónios dela estão muito fortes, os bichos dela fugiram, têm que orar muito para os bichos aparecerem. Posteriormente, começou a fazer a operação na outra jovem. Para a operação, ela usou algodão embebido com gasolina e uma colher do hospital onde introduziu nos órgãos genitais da jovem só para retirar os tais bichos.

No dia seguinte, por volta das 12 horas, a jovem começou a sangrar muito, avisou a curandeira que a ignorou; ela levantou-se e foi ao banheiro e de lá já não conseguia sair, porque a hemorragia se intensificou, ficando totalmente amarelada e fraca que não conseguia pôr-se de pé. Eu e a minha mãe preocupadas com o seu estado, começamos a fazer a oração Amatsu-Norito e ministramos Johrei das 12 às 16:h; graças a Deus e ao Messias Meishu-Sama, ela recuperou completamente. Ela depois relatou-nos que quando estávamos a fazer a oração, viu algo preto que saía do seu corpo e sentiu-se leve. A curandeira vendo o milagre disse: não saia daí minha filha, continuem com a oração. A outra jovem ainda disse-me que comigo a curandeira não tinha conseguido fazer a operação porque tenho a proteção de Deus. Através disso, todos os que lá estavam internados, resolveram ir-se embora.

Assim, despertei para a minha missão e reafirmei o meu compromisso com Deus e Meishu-Sama.

Permitam-me relatar algumas ocorrências vividas nas casas que eu e minha mãe estamos a cuidar:

– Um jovem estava a passar por conflitos com a sogra, por causa da doença mental da sua esposa. A sogra fazia confusão, batia nele e na sua mãe, prometendo-lhes a morte. Vendo essa situação, nasceu em mim o desejo de passar a levar flores. No primeiro dia, encontrei a mãe do jovem e outros familiares, tendo a mãe me pedido que eu levasse o pastor para fazer oração. Dia seguinte, conforme orientação recebida, levei algumas irmãs e fizemos a oração, limpeza e vivência da flor. Quando no dia seguinte apareci, disseram-me que dormiram muito bem; actualmente, o jovem já frequenta a igreja, a esposa melhorou e a sogra parou de fazer as confusões que ela fazia.

   – Uma jovem que sofria de problemas mentais, comia muita areia e andava despida, ao falar com a mãe dela, esta me permitiu fazer a oração e a mãe concordou. Na conversa com ela, tomei conhecimento de que a jovem começou a purificar aos 21 anos de idade e hoje ela tem 43 anos. Com o recebimento de Johrei, a filha deixou de comer areia e já não fica despida. Com essas mudanças, a mãe despertou e passou a fazer o donativo de gratidão e a filha continua a receber Johrei.

Aprendi que, Meishu-Sama é o Messias que veio para tirar toda a humanidade do sofrimento, que só é necessário deixarmos Ele agir.

Agradeço a Deus, ao Messias Meishu-Sama, aos meus Ancestrais e Antepassados, pela permissão de conhecer este maravilhoso caminho da salvação.

Muito obrigada!

Esperança Luís Francisco

98 Views

Partilhar amor

Procura mais alguma coisa?

Relacionados:

Experiência de fé do dia
Reminiscência do dia
Ensinamento | Estudo Diário