“… quando cumprimos com as dedicações e as nossas tarefas, tudo corre bem…”

🙎🏿‍♀️ Maria Bernardo António Leão | Região Norte-Sul- Johrei Center do Camama

📍 Província de Luanda

🇦🇴ANGOLA

Sou membro e dedico como auxiliar do Grupo Lua.

A experiência de fé que passo a relatar, está relacionada com o acompanhamento de casas.

Há algum tempo a esta parte, tinha muitas dificuldades para conciliar o trabalho e as dedicações da Igreja, fazendo com que eu parasse de dedicar. Tinha um furúnculo na barriga, que formou uma grande ferida que me incomodava muito, tirando-me a disposição. Como consequência, a minha patroa tirou-me do emprego, pois eu no estado em que me encontrava, não podia trabalhar.

Com isso, entendi que não estava a cumprir correctamente a minha missão e tomei a decisão de passar a cuidar de casas e aprofundar na distribuição de flores. Os meus vizinhos pediram-me para os levar à Igreja, porque eu só me preocupava em levar a minha filha. Assim, agradeci e continuei com as minhas dedicações.

Certo dia, quando marchava com alguns membros e uma frequentadora que cuido, depois da marcha, perguntei a ela se eu poderia aparecer em sua casa no dia seguinte para fazer limpeza, mas esta negou. Quando ela à noite foi-se deitar para dormir, sentiu que alguém lhe deu uma pancada na nuca. Quando ela acordou, o local onde levou a pancada, havia inflamado. Assim, fizemos a oração, encaminhamos a purificação e ministramos Johrei. Como resultado, a purificação passou.

Fomos participar de uma dedicação de limpeza nas casas dos frequentadores, mas ela decidiu não terminar a dedicação. Nessa mesma tarde, o filho foi esfaqueado e nenhum hospital queria atendê-lo. Depois disso, liguei para ela, que explicou-me o que havia acontecido. Fizemos a oração pelo telefone e materializamos um donativo de pedido de perdão. Após alguns minutos, os médicos os chamaram para serem atendidos e agradeci do fundo do meu coração.

Acompanho uma outra casa, onde mora um menino com pertubações mentais. Comecei a fazer oração nessa casa e passei a deixar flores. Depois de lá ir várias vezes, o menino passou a apresentar melhorias notáveis, participando directa e activamente nas actividades domésticas.

Como preparação do culto anual às almas dos nossos Antepassados, fomos fazer limpeza ao cemitério. Quando regressei à casa, encontrei o meu filho de 17 anos a incorporar; ele dizia que tinha alguém que estava a apertar a ele e o bebé. Ao fazermos oração e ao materializamos um donativo para agradecer aquela manifestação, o menino parou de incorporar.`

Os meus filhos não aceitavam vir à igreja, não faziam oração, não gostavam de ler os ensinamentos e até chegaram a dizer que iriam para uma outra igreja. Agradeci, entreguei tudo nas mãos de Deus e do Messias Meishu-Sama. Hoje, já aceitam ir à Igreja, fazem oração comigo e já não encaram os ensinamentos da mesma forma.

Com essas experiências, aprendi que quando cumprimos com as dedicações e as nossas tarefas, tudo corre bem e que a cada novo caso que acompanhamos, ganhamos uma outra percepção espiritual.

Agradeço a Deus, ao Messias Meishu-Sama e aos meus Antepassados, pela permissão de conhecer este maravilhoso caminho da salvação.


Muito obrigado!

Maria Bernardo António Leão

79 Views

Partilhar amor

Procura mais alguma coisa?

Relacionados:

Experiência de fé do dia
Reminiscência do dia
Ensinamento | Estudo Diário