Ermelinda José Mapo – JC Maxaquene/Moçambique
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Chamo-me Ermelinda José Mapo, sou frequentadora e dedico como assistente religiosa do Grupo Lua no Johrei Center de Maxaquene.

Conheci a igreja no ano de 2018, encaminhada na porta do Johrei Center através da flor de luz. Quando passava a frente do Johrei Center a caminho de outra Igreja que eu frequentava, um senhor abordou-me e ofereceu-me uma flor e disse que a mesma iluminaria o meu caminho. Perguntei para ele como uma flor iria iluminar-me, ele convidou-me a entrar, mas como eu estava com pressa declinei o convite.

Dei alguns passos e uma voz disse-me para voltar. Entrei e fui acompanhada para fazer a oração no altar. Ao receber Johrei comecei a incorporar, mas com encaminhamento através da oração, melhorei. Saí da Igreja com uma sensação de muita alegria. Chegando a casa, encontrei a minha amiga, Rosa Sitoe, agora membro da Igreja. Contei-lhe que acabava de conhecer uma Igreja muito boa, cuja Sede ficava em Cumbeza e gostaria que fossemos juntas para ela conhecer. Ela disse: essa é uma Igreja de pessoas ricas; e que não poderia ir, mas mesmo assim fomos juntas.

Os motivos que me levaram a conhecer a Igreja foram: conflitos familiares e conjugais, pobreza e doença. Sou casada e vivi durante 4 anos com o meu marido que veio a falecer por causa de dores de cabeça. Com isso, junto com meu filho, ficamos sem casa para viver e fomos morar numa casa abandonada no nosso bairro, onde pagávamos a renda ao chefe do quarteirão; isso durante 10 anos.

Eu e o meu filho vivíamos apenas da pensão do meu falecido marido, pois eu nunca havia trabalhado na vida. Outro problema que eu enfrentava era que mesmo antes de nascer, fui predestinada a ser curandeira, herdando da minha avó materna essa missão.

Para tal, fui sujeita a um tratamento, no qual fui viver no meio de uma mata durante 3 meses a fazer formação e tinha de dormir na campa da minha avó. Isso preocupava a minha família que vendo a minha situação, pensavam que eu estava a ficar maluca e queriam chamar curandeiros para me tratar, mas eu não aceitava. O meu pai levou-me para uma igreja onde disseram que eu fora escolhida para fazer oração para outras pessoas e passei a receber pessoas na minha casa a quem eu atendia, fazia tratamentos e davam-me dinheiro, mas não conseguia usar o tal dinheiro. Aliado a todos esses sofrimentos, eu tinha dores de cabeça constantes. Frequentei outra igreja, mas estando lá a minha situação piorou ainda mais e o comportamento do meu filho também piorou.

Em meio a esse sofrimento, comecei a frequentar a Igreja Messiânica, onde fui orientada a participar todos os dias da marcha da oração das 6 horas na igreja, receber Johrei, dedicar no banheiro e fazer o donativo diário e o dízimo. No dia em que dediquei no banheiro, quando voltei para casa, uma pessoa ofereceu-me 200 meticais, algo que nunca havia acontecido antes. Imediatamente, materializei um donativo especial. Mais graças começaram a surgir, pois meu irmão a quem criei e que não me visitava há 10 anos, veio visitar-me e deu um apoio financeiro. Graças a Deus e ao Messias Meishu-Sama, as incorporações diminuíram consideravelmente.

Recebi outra graça de conseguir um emprego com um salário que cobria as minhas despesas básicas. No início estava tudo bem, conseguia até mandar dinheiro para meus familiares que vivem em Quelimane, mas comecei a não ter tempo de dedicar e nem de ir a igreja e não fazia mais o dízimo. Com isso a situação mudou. A relação com a minha patroa degradou-se, ela passou a insultar-me e a gritar sempre.

Como a casa era grande, outra pessoa foi chamada para auxiliar-me no trabalho, mas algum tempo depois, fui mandada embora do emprego e a tal pessoa, recém admitida, ficou no meu lugar. Reflectindo, recordei-me que eu era mais feliz e abençoada quando dedicava. Assim, fui ao Johrei Center onde fui orientada a agradecer por toda a situação pela qual estava a passar, voltar ao ponto inicial e dedicar. Eu pensei que, seguindo a orientação voltaria a trabalhar na mesma casa, mas como isso não estava a acontecer entrou em mim novamente o sentimento de ingratidão e deixei de frequentar a igreja, tendo ficado em casa.

No dia 30 de Dezembro de 2018, a responsável e alguns missionários foram a casa da minha amiga Rosa para entronizar a imagem de Kannon e depois passaram pela minha casa para fazer a oração. Quando vi os missionários, fiquei muito emocionada, senti que o Messias Meishu-Sama não me tinha abandonado e que vinha chamar-me novamente.

No dia seguinte, fui ao Johrei Center só para fazer oração e donativo. Ainda não havia despertado em mim a importância de realmente voltar ao ponto inicial da fé. Quando voltei para casa, fazia os preparativos para a ceia do ano novo, o meu namorado chegou bêbado, fez confusão e o fogão caiu no meu pé Pensei que tivesse partido algum osso, porque não conseguia andar sem apoio. Consegui ir ao hospital graças a uma boleia que tive. Fui ao hospital fazer curativo e voltei para casa, dormi e sonhei a receber Johrei com o missionário. Liguei para ele que se prontificou a vir no dia seguinte para me dar assistência. Passei a receber muita assistência e apoio dos irmãos do Johrei Center, graças ao Supremo Deus e ao Messias Meishu-Sama.

Na mesma altura, tive um sonho onde vendia meu terreno e pediam-me para pagar um tributo. Percebi que era um sinal dos meus antepassados e quando acordei fui levantar todo dinheiro que tinha no banco e corri para o Johrei Center para fazer o meu donativo com a Responsável. Depois que fiz o donativo, a situação na minha casa mudou. O meu filho que sempre discutia comigo e dizia que ia para escola, mas fugia para brincar com os amigos e não aceitava tomar banho, mudou de comportamento e voltou a ser obediente e respeitoso para comigo. O meu namorado que me agredia sempre que eu fosse a igreja, também mudou, nossa relação melhorou e parou de agredir-me fisicamente. Com essas graças, tomei a decisão de integrar-me na rede de salvação pelo Grupo Lua.

A outra experiência que passou a relatar tem a ver com o encaminhamento.

Uma amiga minha foi a minha casa para pedir ajuda para sua mãe, que há 5 anos não conseguia andar, o corpo tremia involuntariamente, tinha problemas na fala e tinha ataques similares aos de epilepsia. Levei algumas flores para fazer vivência e oração em sua casa. Fui ao Johrei Center pedir ao missionário para dar assistência; ele e alguns membros passaram a ministrar Johrei frequentemente. Sempre que tivesse flores de luz levava para distribuir na zona da mãe da minha amiga, com o Sonen de que ela fosse salva. Quando fui a casa dela, estava melhor e muito agradecida. Ela disse-me que Deus lhe ressuscitou, porque durante muito tempo ela não conseguia andar e muitas pessoas haviam tentado curar-lhe, mas não conseguiram. Graças a assistência dos membros da Rede de Salvação, ela já consegue andar, apesar de ter ainda algumas dificuldades na locomoção.

Vendo as graças recebidas e as mudanças na vida das pessoas que acompanhei, fiz um donativo de agradecimento e consegui concluir o donativo de recebimento da imagem de Kannon.

Informei a minha família que iria receber a imagem de Kannon, eles me parabenizaram e as minhas irmãs se prontificaram a mandar dinheiro e vestuário para o dia da outorga.

O meu compromisso é de me esforçar na dedicação de trazer pessoas para este caminho de luz para que elas possam ser salvas, tal como eu fui pelo Messias Meishu-Sama. Já encaminhei 15 pessoas, tenho a minha horta caseira feita.

Aos Ministros, Missionários, membros e frequentadores, o meu mais profundo e sincero agradecimento.

Muito obrigada!

 

 

Leia também: